PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Luxa diz que Cruzeiro estava perto de cair para Série C quando assumiu

Vanderlei Luxemburgo, técnico do Cruzeiro, durante partida da Série B em 2021 - Fernando Moreno/AGIF
Vanderlei Luxemburgo, técnico do Cruzeiro, durante partida da Série B em 2021 Imagem: Fernando Moreno/AGIF

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

29/01/2022 08h00

Vanderlei Luxemburgo já não é mais o treinador do Cruzeiro, que agora é comandado por Paulo Pezzolano, mas citou o clube em uma entrevista ao Podcast Flow Sport Club. Na conversa, o ex-técnico cruzeirense comentou a sua terceira passagem pela Toca da Raposa em 2021, que durou cerca de três meses.

Luxemburgo falou sobre o momento em que assumiu o clube, em má fase na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro, e destacou, inclusive, que não estava em seus planos aceitar um convite para comandar um time em tais condições. O convencimento partiu de um pedido feito por Pedro Lourenço, um dos principais patrocinadores do Cruzeiro e amigo pessoal de Luxa.

Para Luxemburgo, na ocasião, o Cruzeiro estava "combalido" e prestes a cair para a terceira divisão nacional. A situação, segundo ele, era "horrível" para o clube mineiro.

"O Cruzeiro estava combalido, totalmente combalido, o Cruzeiro estava para ir pra 3ª divisão. Cheguei lá, era horrível, seis meses de salário atrasado, fornecedores atrasados, transfer ban, funcionário sem receber, tudo horrível. Conversei com o patrocinador [Pedro Lourenço], eu vou, mas primeira coisa que quero é salário de jogadores e principalmente de funcionários em dia e ele concordou."

Durante a entrevista, Luxemburgo também comentou as exigências feitas para assumir o cargo de técnico do Cruzeiro, já que não pretendia comandar uma equipe na segunda divisão àquela altura. Na época, Luxa pediu que os salários estivessem em dia com atletas e funcionários, o que foi atendido a princípio. Porém, conforme ele, não durou muito. Os salários voltaram a atrasar e reuniões ocorreram para ajustes.

Luxemburgo também comentou a trajetória do clube na tabela, entre altos e baixos na disputa da Série B. Segundo ele, o time não estava apto, "não era pra ganhar". E a camisa pesou, de acordo com o treinador.

"Consegui tirar e ir pro meio da tabela, mas nos jogos mais importantes, a equipe não conseguiu ganhar aquele jogo, que você poderia ir para sétimo, sexto lugar e encostar na turma de cima, e aí a camisa entra em campo. O time não era para ganhar, era de jogadores jogando no Cruzeiro que vieram da segunda, terceira divisão e de clubes muito pequenos, e a camisa pesa muito. Tem que ter jogadores, mesmo na segunda divisão, de primeira divisão. O Grêmio fez certo, manteve jogadores da primeira divisão, ganham bem, ter um custo maior do que perder 100 milhões do ano que vem", diz se referindo à cota de televisão da Série A.

E Luxemburgo ainda acredita que o Cruzeiro precisa de um time de primeira divisão para alcançar o retorno à elite nacional, assim como em 2021. Assim como dizia em coletivas quando era treinador do clube, ele voltou a frisar isso, afirmando que é preciso investir em um elenco que levará a Raposa de volta para a Série A.

"Tenho falado para o Vasco da Gama, pro pessoal do Cruzeiro. Isso é primeira divisão. Ah, não tem condições de investir. Tem que ser criativo. Você não vai ter a receita agora [na Série B], mas futebol é um jogo. Você tem que arriscar. É fazer um investimento de jogadores que podem te levar pra primeira divisão, e você gastou 10 ou 15 milhões a mais na Série B, mas você vai receber 100 no orçamento do ano seguinte estando na Série A, já muda totalmente patrocinador e outras coisas. Tem que fazer um time de primeira divisão jogando a segunda divisão.

Ao todo, Vanderlei Luxemburgo acumula três passagens pelo Cruzeiro, sendo a primeira delas a mais vitoriosa, com a conquista do tríplice coroa. Na ocasião, mais precisamente em 2003, o clube venceu o Campeonato Mineiro, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro no mesmo ano sob o comando do treinador. Ao longo de toda a sua trajetória com a Raposa, foram 149 jogos sob o seu comando.

Foram 82 vitórias nesse período, 36 empates e 31 derrotas. Com Luxa no banco, foram também 284 gols marcados pelo clube e 154 sofridos.

Cruzeiro