PUBLICIDADE
Topo

Lembra dessa? Ronaldo deixou vascaíno sentado sem nem tocar na bola

Ronaldo e Amaral, frente a frente, momentos antes de um drible de corpo inacreditável
Ronaldo e Amaral, frente a frente, momentos antes de um drible de corpo inacreditável
Reprodução/YouTube

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

18/04/2021 04h00

A noite era fria no Pacaembu lotado de corintianos; jogo decisivo e tensão no ar... Aí o Ronaldo Fenômeno fez isso com o volante Amaral, do Vasco. Do lance você provavelmente se lembra, mas talvez não das circunstâncias que levaram a ele. Abaixo o UOL Esporte volta no tempo para 3 de junho de 2009.

Continua depois da publicidade

O drible fenomenal aconteceu lá pelas 22 horas da quarta-feira de uma semana abalada pelo acidente do Voo Air France 447. O dólar valia R$ 1,96, tinha certa ansiedade no ar pela escolha das sedes da Copa-2014, e a pandemia daquele ano era outra, de H1N1.

Os meses anteriores tinham sido de gols inesquecíveis de Ronaldo, o auge dele no Corinthians. Teve o famoso gol do alambrado e o de cobertura na Vila Belmiro (este, abaixo), e o homem seguia provando que era mesmo diferente. Já tinha dez gols pelo clube e um título paulista naquele ano.

Mas aquelas semanas não estavam sendo nada fáceis para Ronaldo. Ele estava voltando de lesão na panturrilha direita, vivia jejum de um mês sem marcar e nunca tinha feito um gol no Vasco da Gama (nem jamais faria).

"Estou com muita saudade de fazer gols. Faz um tempão que não faço, e estou precisando. Quero fazer gol sempre, mas não é sempre que vou conseguir."
Ronaldo, às vésperas do jogo. Gol não teve, mas teve drible
Continua depois da publicidade

Amaral, por outro lado, tentava se firmar. O volante tinha surgido no interior paulista e sido contratado três anos antes, mas passou 2008 emprestado. Chegou a dizer inclusive que preferia ficar no Grêmio, mas acabou voltando e vivia sequência como titular.

Mais de 35 mil pessoas foram ao Pacaembu naquela noite para o Corinthians x Vasco. Após 1 a 1 no jogo de ida, Ronaldo e cia. precisavam só de um empate sem gols para se classificar à final, mas o Vasco daria trabalho.

O jogo começou quente. Cristian e Carlos Alberto bateram boca já aos dois minutos, aos 8 Amaral derrubou Dentinho em uma disputa intensa pela bola. Entre um lance e outro, Ronaldo tentou abrir o placar de calcanhar mas errou.

Então, ainda no começo do jogo, o drible. Ronaldo recebeu na esquerda, na beira da grande área. Amaral parou na frente dele, e a dança começou. O Fenômeno balançou de um lado para o outro, e o volante se enrolou nos próprios passos e caiu no gramado. O estádio delirou como se fosse gol.

Continua depois da publicidade
"Ameaçou sair pela direita, ainda Ronaldo, vamos ver o que vai fazer; dali pode sair coisa boa. Tentou a finta? Lindo lance! A bola parada; só mexeu o corpo! Fantástico, Ronaldo!"
saudoso Luciano do Valle, narrando a finta com exatidão

O duelo particular entre Ronaldo e Amaral durou apenas 15 segundos, mas pareceu muito mais. Nesta eternidade, foram oito segundos sem tocar na bola, enquanto a torcida tripudiava. "Entorta ele! Entorta ele! Vai, gordo!", gritavam.

Objetivamente, o lance não deu em nada: alguém ajudou na marcação e dividiu, a bola ficou com Douglas, e o cruzamento terminou nas mãos de Fernando Prass. Daí em diante o goleiro viveria grande noite, assim como o corintiano Felipe.

Continua depois da publicidade

No fim, um 0 a 0 de tirar o fôlego, e Corinthians classificado à final. "Agora temos que conseguir mais. Fazer história ganhando o título", disse Ronaldo na saída de campo. E de fato o time faria, sendo campeão inclusive com gol dele na primeira final contra o Inter.

Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians - Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Imagem: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Já o Vasco fez ótima Série B, conseguiu voltar à elite e foi campeão com Dorival Jr. —que ainda assim foi trocado por Vagner Mancini, hoje técnico do Corinthians.

Ronaldo jogou mais algumas semanas em altíssimo nível, depois passou a ter maiores dificuldades físicas e ficou dependendo de lampejos geniais. Ainda assim teve um 2010 de bons momentos, mas no ano seguinte se aposentou após eliminação na pré-Libertadores.

Já Amaral acabou descartado na reformulação do Vasco para a Série A e foi para o Cerezo Osaka (JAP). Jogava toda semana no Estádio Nagai, que anos antes tinha sido usado na Copa do Mundo em que, como se sabe, Ronaldo fora artilheiro e pentacampeão.

Futebol

Futebol