PUBLICIDADE
Topo

SBT entrega Fla-Flu em alto nível. Números dão força à TV em meio a debate

Téo José comandou a transmissão ao lado dos ex-jogadores Athirson e Carlos Alberto - Reprodução
Téo José comandou a transmissão ao lado dos ex-jogadores Athirson e Carlos Alberto Imagem: Reprodução

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

16/07/2020 04h00

O retorno do SBT transmissões de futebol de rede nacional depois de 17 anos foi o melhor possível para a emissora de Silvio Santos. Além de ganhar na audiência no Rio de Janeiro em disputa contra a Globo, os bons índices em outras capitais foram comemorados. Mas o grande trunfo a ser festejado foi a qualidade do produto entregue ao público em tão pouco tempo de produção.

Mesmo com todas as questões extracampo, como negociações de cotas de transmissão e o fechamento do acordo cinco dias antes de o jogo ser realizado, a emissora paulista mostrou um resultado de produção de impressionar para quem definiu tudo em um espaço tão curto.

Inicialmente, a escolha por Téo José mostrou-se acertada. Em razão de sua identificação com o SBT, por causa de sua passagem no fim dos anos 90, foi como se realmente estivéssemos retornando aos tempos em que o canal exibia eventos como a Copa do Brasil, Fórmula Indy, Copa Mercosul, entre outros eventos.

O cenário entregue para o público foi visualmente muito bonito e até lembrou em alguns aspectos o cenário do Esporte da Globo para as transmissões do futebol, Fórmula 1, entre outros eventos. As imagens do jogo, feitas pela Playrec Produções, a mesma que fez a geração para a FlaTV, tiveram o padrão Globo - até pelo fato de a empresa responder pelos jogos no Premiere, o serviço de pay-per-view da emissora.

O único ponto baixo parece ter sido a escolha dos ex-jogadores comentaristas. Com passagem pelo Fox Sports recentemente findada, Carlos Alberto, conhecido pela irreverência, não se provou em análises mais sóbrias do jogo. Já Athirson parecia bastante nervoso no início, mas melhorou ao longo do partida.

Alcance do Fla-Flu reforça TV aberta

Falando em números, mais motivos para o SBT comemorar. Marcando 26 pontos com picos de 34 no Ibope do Rio de Janeiro, a emissora alcançou em média cerca de 3,08 milhões de espectadores simultâneos apenas na "Grande Rio de Janeiro". O pico de alcance, atingido com os 34 pontos, foi de 4,026 milhões espectadores - um alcance simultâneo máximo no Rio foi maior que a audiência das lives que Flamengo, Vasco e Fluminense promoveram após a Globo rescindir o contrato do Estadual.

Em São Paulo, ao atingir 11,5 pontos com picos de 14, o SBT fechou com alcance médio durante o cortejo de 2,308 milhões de espectadores, com um pico de 2,810 milhões na principal região do Brasil. Na média do PNT, a chamada audiência nacional, onde o Fla-Flu atingiu 16 pontos nas 15 principais metrópoles do Brasil, o jogo alcançou 11,1 milhões de espectadores ao mesmo tempo nessas regiões. Algo que jamais o streaming alcançou no Brasil, o que reforça a força da TV aberta em meio ao debate atual dos modelos de transmissões.

UOL Esporte vê TV