PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Mineirinho é recebido com tumulto e gritos de "vai, Corinthians"

Guilherme Costa

Do UOL, em São Paulo

22/12/2015 12h40

Segundo brasileiro campeão mundial de surfe, Adriano de Souza, o Mineirinho, chegou ao Brasil nesta terça-feira (22) com o troféu na mão e contou com carinho da torcida. Cerca de 100 pessoas estiveram no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, para recebê-lo com muita festa e certo tumulto.

Um esquema de segurança foi armado para a recepção do surfista, mas depois que ele apareceu, tudo mudou. O local foi invadido, gerou empurra-empurra e muita gritaria por parte da torcida.

A recepção foi ao melhor estilo futebol, ele foi até alvo de papel picado enquanto gritos de "vai, Corinthians" foram ouvidos no aeroporto.

Mineirinho deixou o local sem dar entrevistas e teve de contar com ajuda de escolta para sair do aeroporto. Seu carro foi cercado e chegou a ser alvo de alguns objetos. Ele só conseguiu deixar Cumbica com ajuda da polícia.

A recepção do brasileiro teve direito a camisa personalizada, usada por seus amigos e familiares com a mensagem de campeão. Alguns torcedores também levaram bandeiras do Corinthians.

Antes de embarcar no Havaí, Mineirinho chegou a pedir para a "fiel" lotar o aeroporto em sua recepção. O surfista é assumidamente corintiano.

Após a calorosa recepção no aeroporto de Cumbica, Mineirinho falou ao canal SporTV sobre seu sentimento de retornar ao país.

"Ainda to meio confuso de lidar com tanto assédio, eu fiquei um pouco assustado, é uma honra poder pisar no Brasil depois de tanta luta por essa conquista. Graças a Deus consegui realizar esse sonho. Só tenho a agradecer a galera que torceu, acompanhou e disponibilizou o dia para ir lá no aeroporto", afirmou.

Questionado sobre a importância de ser campeão mundial vencendo a etapa de Pipeline, no Havaí, uma das pratas mais famosas do mundo, Mineirinho comparou sua relevância para o surfe com a que o Maracanã tem em relação ao futebol.

"Pra mim foi uma gratidão imensa porque eu sempre soube que o campeão do mundo se consagra em Pipeline. É como ganhar no Maracanã no futebol, você tem que fazer algo lá dentro, é o grande palco do futebol. Pipeline é o melhor exemplo do mundo do surfe, fico muito feliz por fazer história pro meu país", acrescentou Adriano de Souza.

Esporte