PUBLICIDADE
Topo

Renan quer que Brasil evite os erros dos últimos jogos contra os russos

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/08/2021 04h11

Classificado para a semifinal do vôlei masculino das Olimpíadas de Tóquio-2020, o Brasil vai enfrentar o Comitê Olímpico Russo para decidir quem vai para a final da competição. Rival histórico, os russos têm um retrospecto recente favorável diante do Brasil —na fase de grupos dos Jogos Olímpicos de Tóquio, os russos venceram por 3 sets a 0. Além disso, na Liga das Nações, em junho deste ano, outro 3 a 0 em favor da Rússia.

"O time da Rússia chega como forte candidato ao pódio e os dois últimos resultados não foram favoráveis. A primeira coisa é tirar os estudos da gaveta e pensar no que precisamos fazer de bom. Hoje descansar, estudar bastante e a amanhã treinar em função do time da Rússia", analisou o técnico Renan Dal Zotto.

A vaga para a semifinal foi garantida na madrugada desta terça-feira (3) com uma vitória por 3 sets a 0 (parciais de 25/20, 25/22 e 25/20) sobre o Japão.

Segundo colocado no grupo B, o Brasil venceu quatro de seus cinco confrontos na fase de classificação: bateu a Tunísia por 3 sets a 0 na estreia, derrotou a Argentina de virada por 3 sets a 2 no segundo jogo, perdeu para a Rússia por 3 sets 0, venceu os Estados Unidos por 3 sets a 1 e terminou a fase de grupos ganhando da França por 3 sets a 2.

"Felicidade de ter ganho mais uma semifinal olímpica, era o primeiro objetivo alcançado. Ganhar de 3 x 0 do Japão foi uma foi uma vitória muito boa. Agora cabeça 100% para a partida contra a Rússia", finalizou o ponta Lucarelli.

O Comitê Olímpico Russo não tomou conhecimento e despachou o Canadá das quartas de final com uma vitória por 3 sets a 0. Atual campeão olímpico, o Brasil busca sua quarta medalha de ouro no vôlei masculino — ganhou em Barcelona-92, Atenas-2004 e Rio de Janeiro-2016.