PUBLICIDADE
Topo

Natação de velocidade embala medalhas brasileiras em Olimpíadas

Beatriz Cesarini

Do UOL, em Tóquio

01/08/2021 04h00

O bronze conquistado por Bruno Fratus nos 50m livre encerrou a participação brasileira nas provas de natação na piscina do Centro Aquático Olímpico nos Jogos de Tóquio-2020. Na capital japonesa, o Brasil também foi bronze com Fernando Scheffer nos 200m livre.

O desempenho da dupla reforçou um perfil das conquistas da natação brasileira em piscina nos Jogos Olímpicos. As provas de velocidade (até 200m) puxam a fila nos resultados nacionais.

Depois da medalha de Okamoto, em Helsinque-1952, o Brasil voltou ao pódio na natação em Roma-1960. Inaugurando o amor brasileiro pelas provas de velocidade, Manuel dos Santos Júnior levou o bronze nos 100m livre.

Após um hiato de 20 anos sem medalhas na natação, o país conquistou mais um bronze. A equipe formada por Djan Madruga, Cyro Delgado, Jorge Fernandes e Marcus Mattioli levou o bronze no revezamento 4x200m livre masculino em Moscou-1980.

Na Olimpíada seguinte, em Los Angeles-1984, Ricardo Prado levou a prata nos 400m medley.

A partir daí e até Londres-2012, os velocistas passaram a tomar conta das medalhas brasileiras. Em Barcelona-1992, Gustavo Borges faturou a prata nos 100m livre masculino, prova que ele também faturou medalha em Atlanta-1996, mas na ocasião Borges foi bronze.

Ainda em Atlanta, Gustavo Borges foi prata nos 200m livre masculino, e Fernando Scherer levou o bronze nos 50m livre masculino.

Em Sydney-2000, nenhum nadador brasileiro conquistou medalha em provas individuais, mas a equipe formada por Carlos Jayme, Edvaldo Valério, Fernando Scherer e Gustavo Borges levou o bronze no revezamento 4x100m livre masculino.

O país, então, passaria a contar, a partir de Pequim, com um fenômeno na natação. E assim, conseguiria o primeiro e único ouro da natação brasileira na história das Olimpíadas, quando César Cielo conquistou o ouro nos 50m livre masculino. Ainda em Pequim-2008, César Cielo faturou o bronze nos 100m livre masculino.

A hegemonia dos velocistas foi quebrada em Londres-2012, quando Thiago Pereira foi prata nos 400m medley masculino. Além dele, César Cielo voltou a subir no pódio e levou o bronze nos 50m livre masculino nas piscinas inglesas. No Rio de Janeiro, a única medalha brasileira da natação foi o bronze de Poliana Okimoto na maratona aquática.

Confira a lista de medalhas olímpicas da natação brasileira

Helsinque-1952: Tetsuo Okamoto foi bronze nos 1500m livre masculino
Roma-1960: Manuel dos Santos Júnior foi bronze nos 100m livre masculino
Moscou-1980: Djan Madruga, Cyro Delgado, Jorge Fernandes e Marcus Mattioli levou o bronze no revezamento 4x200 livre masculino
Los Angeles-1984: Ricardo Prado foi prata nos 400m medley masculino
Barcelona-1992: Gustavo Borges faturou a prata nos 100m livre masculino
Atlanta-1996: Gustavo Borges foi bronze nos 100 m livre masculino
Atlanta-1996: Gustavo Borges levou a prata nos 200 m livre masculino
Atlanta-1996: Fernando Scherer foi bronze nos 50 m livre masculino
Sidney-2000: Carlos Jayme, Edvaldo Valério, Fernando Scherer e Gustavo Borges levaram o bronze no revezamento 4x100 livre masculino
Pequim-2008: César Cielo conquistou o ouro nos 50m livre masculino
Pequim-2008: César Cielo faturou o bronze nos 100m livre masculino
Londres-2012: Thiago Pereira foi prata nos 400m medley masculino
Londres-2012: César Cielo levou o bronze nos 50m livre masculino
Rio-2016: Poliana Okimoto levou o bronze na maratona aquática
Tóquio-2020: Fernando Scheffer ficou com o bronze nos 200m livre