PUBLICIDADE
Topo

Olimpíadas: Wanderson vence lutador de Belarus e avança às quartas no boxe

Wanderson Oliveira vê Dzmitry Asanau ir ao chão durante luta nas Olimpíadas de Tóquio - Ueslei Marcelino/Reuters
Wanderson Oliveira vê Dzmitry Asanau ir ao chão durante luta nas Olimpíadas de Tóquio Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

31/07/2021 06h39

Wanderson de Oliveira, o "Shuga", venceu Dzmitry Asanau, de Belarus, nas oitavas de final do peso leve (até 63kg) das Olimpíadas de Tóquio neste sábado (31). O boxeador brasileiro chegou à vitória em decisão dividida dos árbitros e avançou para as quartas de final. Se sair vencedor novamente, já garante uma medalha para o Brasil.

No total, três árbitros entenderam que a vitória foi do brasileiro. Um único árbitro entendeu que o atleta de Belarus havia vencido todos os rounds, e outro deu vitória ao europeu de maneira dividida.

Shuga é o quinto brasileiro a chegar às quartas de final do boxe nesta edição dos Jogos Olímpicos. Ele se junta a Bia Ferreira, Herbert Conceição, Abner Teixeira (que já passou às semifinais) e Keno Machado (eliminado em luta polêmica).

"Me senti solto, no primeiro combate não me senti pressionado apesar de ser estreia, quando esperam nervosismo. Graças à conversa com os técnicos, consegui botar o plano em prática e não me deixei levar por nada de fora. É uma alegria enorme ver tantos atletas tendo bom desempenho, todos os companheiros de equipe. Fico feliz pela base de treinos, de termos ficado tão unidos e agora estarmos colhendo bons resultados", declarou.

Wanderson vai enfrentar o cubano Andy Cruz, primeiro colocado da divisão e atual campeão mundial, que venceu o britânico Luke McCormack por decisão unânime nas oitavas. A luta está marcada para a manhã do dia 3 de agosto, por volta das 6h (de Brasília).

"É o número 1 da nossa categoria, mas eu vou treinar bastante a tática que vou ter contra ele, rever a luta que tive com ele, rever os erros e o que tive de qualidade para fazer a estratégia", afirmou o lutador do projeto social "Luta Pela Paz".

A luta

O boxeador carioca vinha de vitória por decisão unânime sobre o atleta refugiado Wessam Salamana, e por pouco não venceu logo no primeiro round. Wanderson chegou a colocar o pugilista de Belarus nas cordas com um cruzado, deixando o adversário desnorteado. Mesmo com o brasileiro conectando mais golpes, houve um árbitro que não deu o primeiro round para o brasileiro.

No segundo round, Asanau voltou mais agressivo e acertando mais vezes o rosto do brasileiro. Com guarda baixa, Wanderson partiu para cima nas reta final do round e derrubou novamente o lutador de Belarus, por empurrão segundo o árbitro do ringue. Para quatro dos cinco árbitros, Asanau havia vencido a parcial.

Wanderson foi mais ativo no terceiro e último round, e Asanau ficou mais na esquiva. O pugilista do Complexo da Maré partiu para cima, acertou duros golpes na linha de cintura, buscou as sequências de jab, cruzado e direto e pressionou até o fim, mas o atleta de Belarus conseguiu sobreviver até o gongo final.