PUBLICIDADE
Topo

Protesto tira brasileiras da ponta na vela, mas não muda chance de medalha

Brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze em ação nas Olimpíadas de Tóquio - Ivan Alvarado/Reuters
Brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze em ação nas Olimpíadas de Tóquio Imagem: Ivan Alvarado/Reuters

Colaboração para o UOL

31/07/2021 07h29

Uma eliminação na segunda regata deste sábado (31) mudou a classificação na disputa pelo ouro da classe 49er FX da vela feminina, mas não alterou o cenário para as brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze ficarem com o ouro nas Olimpíadas de Tóquio.

Um protesto acabou eliminando da segunda rodada a embarcação americana que havia terminando na nona colocação. A punição não afetou a dupla brasileira, segunda colocada nesta regata, mas ajudou as holandesas Annemiek Bekkering e Annette Duetz, que ganharam uma posição e tomaram a ponta da classificação geral com os mesmos 70 pontos que as brasileiras, levando vantagem no desempate por terem um 5º lugar a mais.

Isso não muda o que as brasileiras precisam fazer na medal race para ficarem com o ouro: terminar na frente das rivais.

A final será na madrugada de segunda-feira (2), com previsão de início para as 2h30. Vence quem tiver o menor número de pontos acumulados em todas as regatas.

Mais Brasil

A madrugada foi agitada na vela para os brasileiros. Além de Martine Grael e Kahena Kunze garantirem vaga na medal race, Patrícia Freitas finalizou a participação nas Olimpíadas de Tóquio. Concorrendo na categoria RS: X feminino, ela terminou em 10º lugar no geral.

Já Jorge Zarif está na 14ª colocação do geral da Finn e ainda disputará mais duas regatas. Ele está a 15 pontos para conseguir vaga na corrida final. Na mesma situação está a dupla Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino, na Nacra 17 Misto. Os dois estão em 9º no geral, faltando três regatas para o final.

Por fim, na categoria 49er masculino, Marco Grael e Gabriel Borges terminaram as doze regatas e ficaram em 16º na classificação. Com os pontos acumulados, eles não conseguiram carimbar a participação na corrida das medalhas.