PUBLICIDADE
Topo

Presidente do COI elogia coragem de Simone Biles: 'grande qualidade humana'

O presidente do COI elogiou a coragem de Biles em assumir seus problemas de saúde - Tim Clayton - Corbis/Corbis via Getty Images
O presidente do COI elogiou a coragem de Biles em assumir seus problemas de saúde Imagem: Tim Clayton - Corbis/Corbis via Getty Images

AFP, em Tóquio

30/07/2021 11h30

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, descreveu Simone Biles como "corajosa". "Quem há um ano teria admitido ter problemas de saúde mental? São grandes qualidades humanas", declarou o presidente da entidade. Biles decidiu não competir as finais da ginástica artística para preservar a própria saúde mental.

"Por um lado, ela admitiu ter problemas, só por isso já é corajosa. E, ao mesmo tempo, aplaudiu suas companheiras e esteve presente para apoiar aquela que a substituiria no restante da disputa no concurso geral", declarou Bach, em um encontro com agências de notícias.

Na terça-feira (27), Biles retirou-se da competição geral por equipes devido à grande pressão que precisava administrar. Um dia depois, ela desistiu da defesa do título olímpico no individual geral, disputada ontem (29). Durante a final, Simone Biles marcou presença nas arquibancadas para apoiar as norte-americanas e a brasileira Rebeca Andrade, que terminou levando a medalha de prata.

"Tive a oportunidade de trocar algumas palavras com ela depois da competição por equipes. Admiro sua maneira de lidar com a situação", acrescentou o presidente do COI. De maneira mais geral, Bach falou sobre os problemas de saúde mental que afetam os atletas de ponta. Além de Simone Biles, várias estrelas revelaram seus problemas psicológicos, como a tenista japonesa Naomi Osaka.

A superestrela afirmou nas redes sociais que tem dificuldades "literalmente em cada aparelho", o que aumenta as dúvidas sobre seu retorno. Além das dificuldades psicológicas, Biles citou o que as ginastas chamam de "twisties", uma perda da consciência total do espaço, situação que às vezes se agrava com o estresse e que pode colocar as atletas em perigo.

"A saúde mental é um grande desafio durante esta pandemia e não apenas nos esportes. Somos confrontados com dois fatores, o desafio da pandemia e a pressão dos atletas. Temos conversado com associações e tentamos pressionar os governos a explicarem a importância do esporte na saúde física e mental", finalizou o presidente do COI.