PUBLICIDADE
Topo

Brasil mudou ordem dos nadadores, mas ficou sem medalha nos 4x200m livre

Beatriz Cesarini

Do UOL, em Tóquio

28/07/2021 02h03

Na tentativa de conquistar a segunda medalha da natação brasileira nas Olimpíadas de Tóquio-2020, a comissão técnica do revezamento 4x200m livre optou por fazer uma mudança na ordem dos nadadores que caíram na piscina na madrugada desta quarta-feira (28). Mas a troca não surtiu efeito, e a equipe terminou a prova na última posição com o tempo de 7min08s22, bem atrás da Grã-Bretanha, que ficou com o ouro, e cravou 6min58s58.

Aproveitando a boa fase e a confiança em alta de Fernando Scheffer, a comissão técnica escalou o medalhista de bronze dos 200m livre em Tóquio-2020 para abrir o revezamento. A ideia era imprimir um ritmo forte desde o início, para que os outros nadadores não tivessem de correr muito atrás dos adversários. Scheffer até iniciou bem e conseguiu ficar em segundo na segunda virada, mas entregou em sexto para Murilo Sartori.

" A expectativa é sempre mais, né? A gente é muito competitivo. Não adianta, a gente sempre vai sonhar com o máximo, mas eu acho que a gente tem que ter o pé no chão também, saber que a gente tem que avançar um passo de cada vez", falou Scheffer.

Na sequência veio Murilo Sartori, outra aposta da comissão técnica para não desgarrar dos líderes durante sua passagem, mas ele alternou entre sétimo e sexto. Breno Correia foi o terceiro a cair na água, e Luiz Altamir fechou o revezamento, mas não conseguiu recuperar nenhuma posição fechando a prova na última colocação.

"Com certeza este não será o melhor resultado do Brasil, do revezamento 4x200m. E ter visto o Scheffer me motivou mais ainda para alavancar essa prova no Brasil. Então a tendência é a gente cada vez colocar isso como objetivo, e com certeza vai colocar o revezamento em um nível muito, muito maior", projetou Luiz Altamir.

Na semifinal, Altamir havia sido o responsável por abrir o revezamento para o Brasil, Scheffer nadou na sequência, seguido por Sartori, com Correia fechando a prova. Na ocasião, o quarteto se classificou com o tempo de 7min07s73.