PUBLICIDADE
Topo

Ícaro Miguel tenta vencer rivais e visão limitada por medalha no taekwondo

Ícaro Miguel cobre o olho direito, em gesto que virou sua marca registrada - Washington Alves/COB
Ícaro Miguel cobre o olho direito, em gesto que virou sua marca registrada Imagem: Washington Alves/COB

Leonardo Parrela

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

25/07/2021 14h00

Ícaro Soares fará neste domingo (25) sua estreia em Jogos Olímpicos. Atual número quatro do mundo, o brasileiro estreará diante do italiano Simone Alessio às 22h15 (de Brasília), mas bem antes venceu um outro adversário. Por causa de um acidente na sua infância, Ícaro tem apenas 10% da visão no olho direito.

Muito antes de se tornar atleta e alcançar a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de Lima (PER) e no Campeonato Mundial em Manchester (ING), ambos em 2019, Ícaro enfrentou o maior desafio da sua vida. Quando tinha seis anos de idade, o menino precisou que a mãe pingasse água boricada em seu olho, após passar um dia brincando na piscina. A mãe, por confusão, acabou pingando gotas de amônia.

O menino teve córnea, retina e nervo óptico queimados. Então, começou o longo processo de recuperação. Incontáveis idas ao médico, um processo meticuloso de recuperação que envolvia até pingar um colírio de 15 em 15 minutos, incluindo os períodos noturnos. A recuperação, demorada, foi bem-sucedida e Ícaro chegou a ter de volta 90% da visão.

Aos 14 anos, já competindo, a visão começou a regredir. A medida que ia progredindo na carreira como atleta, a visão diminuía. Ele até teve a possibilidade de realizar um transplante, o que impossibilitaria a sequência da carreira de atleta, mas preferiu seguir lutando. Em treinos, por vezes, tampa o olho esquerdo para fortalecer a visão do olho acidentado. O gesto virou um símbolo que ele mesmo utiliza em suas redes sociais.


Ícaro garantiu o direito de estar nas Olimpíadas ao vencer o Pré-Olímpico disputado em Heredia, na Costa Rica, em 2020, e chegou a liderar o ranking mundial na categoria até 87kg, que não é a olímpica. Neste ano, ele foi prata no Aberto de Sófia, ouro no Pan-Americano de taekwondo e prata no Open do México da modalidade.

A Associated Press, em sua prestigiada lista de previsões de medalha, coloca Ícaro como possível ganhador da medalha de bronze. No Japão, realizando o sonho de disputar uma Olimpíada, Ícaro buscará se juntar a Natália Falavigna (bronze em Pequim-2008) e Maicon de Andrade (bronze na Rio-2016) como medalhista olímpico da categoria e, claro, a primeira medalha de ouro do Brasil.