Topo

MMA


"É como xingar a mãe", diz Bate-Estaca sobre vaias à rival após provocação

Rose Namajunas e Jéssica Bate-Estaca se encaram antes do UFC 237, no Rio de Janeiro - Bruno Braz / UOL Esporte
Rose Namajunas e Jéssica Bate-Estaca se encaram antes do UFC 237, no Rio de Janeiro Imagem: Bruno Braz / UOL Esporte

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

09/05/2019 15h15

No treino livre que aconteceu em um shopping do Rio de Janeiro ontem (8), a dona do cinturão do peso-palha do UFC, Rose Namajunas, ia bem na interação com os torcedores e chegou a ser aplaudida ao destacar ter aceitado o desafio de defender o título na casa da brasileira Jéssica "Bate-Estaca" Andrade por ser uma forma de "encarar seus medos". Porém, quando tinha tudo para ganhar a simpatia com o público, disse que iria "dar uns socos na cara dela, colocá-la no chão e finalizá-la", algo que gerou imediatas vaias e rendeu assunto para sua desafiante, que lutará em casa.

"Acredito que o público brasileiro é assim, muito carismático, carinhoso, mas se você pegar no pé dele, aí acabou, aí é a mesma coisa que xingar a mãe. Até o ponto que ela foi respeitosa, como eu fui com ela, ela teve o carinho, mas quando ela falou aquilo, todo mundo caiu matando (risos)", disse Bate-Estaca no encontro com os jornalistas que aconteceu hoje, ressaltando que não viu pessoalmente esse depoimento da adversária.

Jéssica, porém, prefere ir por parte para o duelo que pode consagrá-la como a mais nova campeã brasileira do UFC. Seu foco agora estar em bater o peso até amanhã (10).

"Minha guerra agora é essa (bater o peso). A diferença é que não precisei viajar. Saí de casa e vim para cá. Não tive desgaste de viagem, alimentação ruim, cansaço, porque não consigo dormir durante a viagem e o dia seguinte é só de recuperação... Aqui não, já cheguei treinando, me hidratando, não teve inchaço e isso me ajudou, pois só falta 1,7 kg. Talvez, quando entrar no quarto e pesar de novo, vai faltar 1,5kg", declarou.

Bate-Estaca se mostrou confiante para, enfim, levar o cinturão para casa, uma vez que já teve oportunidade, mas foi superada pela então campeã, a polonesa Joanna Jedrzejczyk, no UFC 217.

"Eu estou muito bem para essa luta. Sei exatamente tudo o que tenho que fazer no octógono. Vocês vão ver uma versão totalmente diferente de Jéssica nessa luta", prometeu.

O UFC Rio 10 acontecerá neste sábado (11), na Jeunesse Arena, na Barra da Tijuca (RJ).

Mais MMA