PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Com direito a hit sertanejo, brasileiros dominam card preliminar do UFC SP

Em despedida do UFC, Thales Leite comemora vitória sobre Hector Lombard em São Paulo - Leandro Bernardes/Ag. Fight
Em despedida do UFC, Thales Leite comemora vitória sobre Hector Lombard em São Paulo Imagem: Leandro Bernardes/Ag. Fight

Ana Carolina Silva

Do UOL, em São Paulo

22/09/2018 23h24Atualizada em 23/09/2018 22h51

O que o UFC SP viu na noite deste sábado (22), no Ginásio do Ibirapuera, foi um domínio brasileiro no card preliminar. Dentre as nove lutas que abriram o evento, oito foram vencidas por atletas do Brasil. Um dos triunfos foi embalado por um clássico da música sertaneja; outros mostraram capoeira e o bom e velho jiu-jitsu brasileiro.

Em resumo, as primeiras lutas do evento tiveram carimbo verde e amarelo. Na mesma noite em que dois brasileiros recém-contratados pelo UFC estrearam com festa, o lutador Thales Leites saiu vitorioso na última luta de sua carreira. Ryan Spann foi o único estrangeiro a triunfar no card preliminar. Charles do Bronx alcançou a marca de 11 finalizações em sua trajetória no Ultimate e ultrapassou Royce Grace como o maior finalizador da história.

Recorde Charles do Bronx faz Giagos bater três vezes

A ofensiva de Charles do Bronx obrigou Christos Giagos a investir no contra-ataque. O primeiro assalto teve chutes do brasileiro, que levou a luta para o chão na primeira oportunidade ao agarrar o oponente pela cintura. O norte-americano obteve a levantada e devolveu os chutes a Charles, ainda esticado no chão.

No entanto, um salto o ajudou a acertar um chute no peito de Giagos, que cambaleou. Na metade do segundo assalto, Charles girou o corpo e encaixou um jab no rosto do rival, ainda sem derrubá-lo. Faltava levar Christos ao chão com condições de finalizar, o que enfim ocorreu com um mata-leão. O norte-americano não aguentou e bateu três vezes no braço do brasileiro, comunicando sua desistência ao árbitro e transformando Charles no maior finalizador da história do Ultimate.

Joelhada de Massaranduba aposenta Evan Dunham

massaranduba - Leandro Bernardes/Ag. Fight - Leandro Bernardes/Ag. Fight
Imagem: Leandro Bernardes/Ag. Fight

A luta das reviravoltas. Massaranduba, amplamente ovacionado pela torcida brasileira, teve sua estratégia ameaçada na última metade do primeiro round, quando tentou um chute e caiu. Só faltou Evan Dunham aproveitar o momento apropriadamente. Não aproveitou. O norte-americano permitiu a levantada ao brasileiro, que inverteu o controle do duelo no chão e levou o público ao êxtase.

No segundo assalto, Massaranduba conteve Dunham pelo pescoço por longos minutos, mas o Ginásio do Ibirapuera explodiu de verdade ao vê-lo acertar uma joelhada na costela do adversário. Nocaute técnico imediato. "Massaranduba é f..., entendeu?", perguntou o brasileiro. Em seguida, Evan anunciou que esta foi sua última luta e se disse honrado por disputá-la no Brasil.

Ryan Spann impõe única derrota brasileira da noite

KLB x Ryan Spann - Leandro Bernardes/Ag. Fight - Leandro Bernardes/Ag. Fight
Imagem: Leandro Bernardes/Ag. Fight

Luiz Henrique KLB vendeu caro a única derrota brasileira, mas não foi capaz de evitá-la. Atingido por um direto de Spann, seu nariz logo começou a sangrar. Inabalável, o brasileiro levou a luta para o chão duas vezes: o norte-americano se levantou na primeira, mas foi salvo pelo gongo na segunda. A equipe de Ryan aproveitou para incentivá-lo com palavras de ordem, como: "Finalize agora, p...! Vença pela sua família".

O brasileiro foi derrubado na metade do segundo assalto, mas conseguiu a levantada e já agarrou a perna de Spann. Nenhuma finalização. A terceira parte do confronto foi a primeira da noite a levantar vaias da torcida brasileira, que não gostou de ver KLB dominado no chão. Em decisão unânime, os juízes deram a vitória ao norte-americano.

No terceiro assalto, Sakai castiga Sherman com socos

A luta de peso-pesado demorou para engrenar. Estreante no Ultimate, o brasileiro Augusto Sakai começou o combate com chutes na canela esquerda de Chase Sherman, mas só empolgou a torcida para valer nos últimos momentos do primeiro assalto, ao saltar para socar o adversário.

Os primeiros instantes do segundo round ficaram marcados por uma interrupção do árbitro, que notou uma dedada de Sherman no olho direito de Sakai. Uma vez reiniciado, o confronto ficou mais feroz, com franca trocação. O brasileiro chegou a acertar um belo cruzado no rosto do norte-americano, mas recebeu um de volta menos de 30 segundos depois.

Equilíbrio foi a palavra-chave. Acostumado a uma vida tranquila na loja de aquários em que costumava trabalhar, Sakai precisou de um tempo para acertar uma saraivada de socos no rosto de Sherman, que cambaleou e sangrou, mas seguiu em pé.

Ele não desistiu mesmo ao ver o brasileiro intercalar novamente jabs e diretos, e deu trabalho no chão, mas foi castigado de vez com o nocaute técnico. A primeira coisa que Augusto fez ao ouvir o gongo foi chutar o ar e se atirar no chão, exausto, antes de desabafar: "Ele falou que ia invadir meu país e arrancar minha cabeça. Nem f...endo".

Serginho Moraes brilha e manda recado com jiu-jitsu

A luta não demorou para ir ao chão. Serginho, especialista em jiu-jitsu, segurou Ben Saunders por longos minutos e tentou dar fim à disputa com uma chave de braço (a torcida brasileira chegou a comemorar a vitória antes da hora), mas não conseguiu. Pelo menos, não naquele momento.

Igualmente montado no segundo round, Serginho Moraes voltou a prender o norte-americano e se revezou nos golpes; entre um soco e outro, forçava o estrangulamento com tudo que jiu-jitsu o ensinou. Deu certo. "Eu falei que o meu jiu-jitsu é o melhor desta categoria. Queria finalizá-lo assim para mostrar que o jiu-jitsu está de volta", afirmou o brasileiro.

Mayra estreia no UFC e encanta a mãe com chave de braço

mayra - Leandro Bernardes/Ag. Fight - Leandro Bernardes/Ag. Fight
Imagem: Leandro Bernardes/Ag. Fight

Estreante sob o apelido de "Sheetara", inspirado no desenho "ThunderCats", Mayra Bueno não foi veloz como a personagem, mas finalizou a luta contra Gillian Robertson a cinco minutos do fim do primeiro round com uma chave de braço.

Antes disso, a anfitriã já havia se livrado do controle da adversária no chão e girado para acertar um chute. A canadense a segurou no chão por um tempo e chegou a deixar a torcida brasileira apreensiva, mas Mayra inverteu o domínio e conseguiu a finalização. Deixou a arena de cadeira de rodas após torcer o joelho, mas o que seu choro mais expressou foi felicidade.

O sucesso sertanejo "No dia em que eu saí de casa", de Zezé di Carmargo e Luciano, embalou a entrada de Sheetara no octógono do UFC. A música combina bem com a história da brasileira, que, em sua estreia no Ultimate, teve de enfrentar Gillian Robertson e a resistência da própria mãe.

Aniversariante neste 22 de setembro, a mãe de Mayra sempre teve muito medo da empreitada da filha nas artes marciais, mas encheu-se de coragem para assistir à luta in loco. Deve ter gostado da vitória, afinal, como diz a letra do hit sertanejo, "ela sabe que depois que cresce, filho vira passarinho e quer voar".

No limite da exaustão, Thales vence última luta da carreira

Nada melhor do que se despedir com vitória em casa, mas Thales Leites não teve vida fácil em São Paulo. Os primeiros cinco minutos do confronto entre o brasileiro e Hector Lombard foram muito estudados. Os dois lutadores evitaram movimentos precipitados e não diminuíram a guarda, usando e abusando apenas dos chutes baixos - principalmente o cubano naturalizado australiano, que mirava no joelho esquerdo do oponente.

Thales chegou a levar a luta para o chão no segundo assalto, mas o rival conseguiu se levantar. Um chute preciso gerou um corte no supercílio de Hector, que espalhou sangue pelo octógono e pareceu deixá-lo grogue, mas o embate entre os dois estava mesmo predestinado para durar 15 minutos.

Ao acertar um jab no rosto do adversário nos últimos segundos do terceiro assalto, Thales deixou o visitante desnorteado. O brasileiro nem hesitou: ao ouvir o som do gongo, já comemorou com a torcida, ciente de que os juízes lhe dariam a vitória por decisão unânime. "Não é um chute na perna que vai me fazer parar", avisou Leites, antes de se despedir.

Capoeira derruba Vendramini com joelhada

O primeiro assalto da luta entre Elizeu Capoeira e Luigi Vendramini foi equilibrado. Tanto Elizeu, quanto Luigi quiseram finalizar o confronto no estrangulamento, mas ambos conseguiram escapar. O brasileiro tentou acertar a cabeça do italiano com um chute, sem sucesso.

Uma joelhada ajudou a levar Luigi para o chão, mas não foi com as pernas que Capoeira nocauteou o adversário, e sim com os punhos. O brasileiro fez Vendramini sofrer e encerrou a luta no segundo round.

Livinha Souza abre a noite e empolga torcida

A primeira luta ditou o tom que o restante da noite pode ter. Assim que foi anunciada, a australiana Alex Chambers ouviu sonoras vaias da torcida brasileira. Livinha Souza, por outro lado, foi amplamente ovacionada. O Ginásio do Ibirapuera não estava para brincadeira.

Com o apoio da galera, Livinha dominou o combate desde o início e obrigou Chambers a recuar para o corner, o que ajudou a brasileira a levar a luta para o chão. E foi com uma guilhotina que ela finalizou ainda no primeiro round e levou o público à loucura.

Confira os resultados das lutas do UFC São Paulo:

Card principal:

Thiago Marreta nocauteou Eryk Anders ao fim do terceiro round
Alex Cowboy venceu Carlo Pedersoli com nocaute técnico aos 39s do primeiro round
Rogério Minotouro derrotou Sam Alvey com nocaute aos 35s do segundo round
Andre Ewell venceu Renan Barão por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
Randa Markos e Marina Rodriguez empataram por decisão majoritária (29-28, 28-28, 28-28)

Card preliminar:

Charles do Bronx venceu Christos Giagos com finalização aos 3min23 do segundo round
Francisco Massaranduba derrotou Evan Dunham com nocaute técnico aos 4min10 do segundo round
Ryan Spann venceu Luis Henrique KLB por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)
Augusto Sakai finalizou Chase Sherman com nocaute técnico aos 4min03 do terceiro round
Serginho Moraes venceu Ben Saunders com finalização aos 4min42 do segundo round
Mayra Sheetara venceu Gillian Robertson com finalização aos 4min55 do primeiro round
Thales Leites derrotou Hector Lombard por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Elizeu Capoeira nocauteou Luigi Vendramini a 1min20 do segundo round
Livinha Souza venceu Alex Chambers com finalização a 1min21 do primeiro round

MMA