PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

UFC estreia em Porto Alegre com pesados em risco e brasileiro em ótima fase

Antonio Silva, o Pezão, posa com o rival Frank Mir, a quem enfrenta em Porto Alegre - Jefferson Bernardes/inovafoto
Antonio Silva, o Pezão, posa com o rival Frank Mir, a quem enfrenta em Porto Alegre Imagem: Jefferson Bernardes/inovafoto

Do UOL, em São Paulo

22/02/2015 06h00

Casa de um dos campeões do UFC, Fabrício Werdum que tem o cinturão interino dos pesados, Porto Alegre recebe neste domingo sua primeira noitada da principal organização de MMA da atualidade. O duelo principal será na categoria de Werdum, com dois lutadores em risco dentro do evento: Antonio Pezão encara o veterano Frank Mir, em sua segunda oportunidade de ser o protagonista de uma edição brasileira do Ultimate. Edson Barboza é o outro destaque do card, que começa às 19h, e, vencendo, estará pronto para o cinturão dos leves.

Na última vez que foi colocado para liderar uma noitada, Pezão não cumpriu o esperado: foi nocauteado por Andrei Arlovski em apenas menos de três minutos. E a fase não é tão boa para o paraibano, que há dois anos estava disputando o título contra Cain Velásquez. Agora são três combates sem triunfar, com duas derrotas e um no contest – o empate contra Mark Hunt ainda sujou o nome de Pezão com um caso de doping, por excesso de testosterona em seu organismo.

O paraibano está numa posição delicada no UFC, mas ainda tem moral com a organização, por fazer combates contra grandes nomes e geralmente participar de batalhas, de grandes shows. A diferença do Pezão que enfrentou Arlovski para o de agora, ele diz, são os pés no chão.

“Eu fiz algumas coisas erradas antes daquela luta e agora as corrigi. É uma correção na parte mental. Não vou mais lutar como se tivesse vencido e estivesse indo para a festa pós-luta. Isso não vai acontecer desta vez”, disse ele, ao site norte-americano Fox Sports.

Em risco, mesmo, está Frank Mir, que já está estourando a cota de paciência do UFC. São quatro derrotas consecutivas e, mesmo todas sendo para nomes fortes da divisão dos pesados, é muito tempo sem resultados. Mir perdeu para Júnior Cigano em 2012, em disputa de cinturão, e caiu diante de Daniel Cormier, Josh Barnett e Alistair Overeem. O último triunfo foi contra Minotauro, em 2011.

“Eu tirei um tempo de descanso após a derrota para Alistair. Os caras que peguei eram tops do ranking, mas eu precisava de um tempo para melhorar e voltar com a capacidade completa. Minha motivação é a mesma do começo. Não faço por números, é meu estilo de vida”, explicou Mir, ao UFC Tonight. O norte-americano foi campeão do UFC em 2004 e novamente em 2008, de forma interina.

Antonio Silva, o Pezão, posa com o rival Frank Mir, a quem enfrenta em Porto Alegre - Jefferson Bernardes/inovafoto - Jefferson Bernardes/inovafoto
Antonio Silva, o Pezão, posa com Frank Mir, seu rival em em Porto Alegre
Imagem: Jefferson Bernardes/inovafoto

Pezão teve um reforço na preparação e pegou dicas com o gordinho Roy Nelson, que já encarou Mir, mas perdeu. “Roy Nelson é um figuraça dentro e fora do octógono. Um cara muito gente boa. Fizemos uma participação em um fime e foi muito bom. Ele me passou muita coisa legal. Ele já treinou e lutou contra o Frank e me passou algumas coisas que serão aproveitadas na luta”, contou ao site do UFC Pezão, que sabe da especialidade de Mir no chão, mas até desafia o norte-americano para tentar a sorte.

“Sou muito confortável em lutar no chão. Já enfrentei grandes nomes do jiu-jítsu, como Werdum, e nunca fui finalizado. Então, se precisar lutar cinco rounds no chão, lutarei.”

Edson Barboza em alta

Natural de Nova Friburgo (RJ), Edson Barboza vive seu melhor momento no UFC, maior até do que o nocaute com chute rodado que foi eleito golpe do ano em 2012. O peso leve vem de vitórias contra rivais respeitados: bateu Evan Dunham por nocaute e arrasou Bobby Green, para chegar à sexta colocação no ranking de sua divisão. Em seis lutas, ele só perdeu para Donald Cerrone, um dos melhores lutadores do momento.

Agora, Edson pega Michael Johnson, 12º, e tentará aplicar mais uma vez seus potentes chutes. O norte-americano é especialista em wrestling e, se o brasileiro encontrar sua distância, deve castigar as pernas e o corpo do rival com seus golpes de muay thai, para buscar um nocaute e se aproximar da disputa de cinturão dos leves. Anthony Pettis é o campeão e encara Rafael dos Anjos em março.

No peso médio, o campeão do TUF Brasil 1 Cezar Mutante tenta embalar. Depois de ser nocauteado por CB Dollaway, ele venceu Andrew Craig e agora pega Sam Alvey, norte-americano lutador bom de boxe e com 15 nocautes em 30 lutas feitas. Mutante planeja usar as armas que aprendeu na capoeira, sua luta de origem, para promover a arte marcial no Ultimate.

Além destes três brasileiros, o card ainda tem outros destaques. Jéssica Andrade, 10ª do ranking das peso galo, pega Marion Reneau em busca da quarta vitória seguida, assim como o peso galo Iuri Marajó, que encara Frankie Saenz. Entre os ex-TUF, William Patolino tenta se recuperar de um nocaute inesperado e o argentino Santiago Ponzinibbio luta para vencer sua segunda luta no UFC.

MMA