PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Diretores do Corinthians revelam teto salarial do clube e busca por centroavante; entenda

18/01/2022 16h05


Segundo o Gerente de Futebol do Corinthians, Roberto de Andrade, o teto salarial do clube é de R$ 720 mil. No entanto, o cartola admitiu que há exceções feitas a determinados jogadores.

- Existem exceções também. A média maior é esse salário aí. (R$ 720 mil). Um ou outro um pouco mais que isso. Não gosto de ficar falando de número porque expõe as pessoas. Mas não é muito mais do que isso, não - disse Roberto em entrevista a SBT.

> TABELA: Confira e simule os jogos do Timão no Paulista de 2022
> GALERIA: Corinthians ativo para "se livrar" de atletas fora dos planos

De acordo com o LANCE!, essas exceções referem-se a reforços recentes, como Giuliano, Renato Augusto, Róger Guedes e Willian, que recebem valores mensais próximos a R$ 1 milhão, no caso do último ele recebe até mais, mas o que ultrapassa o limite corintiano é pago por um investidor.

Outro atleta que pode entrar na 'lista de exceções corintiana' é o novo centroavante, que o clube tem buscado. A ideia da diretoria é contar com um nome de peso. Presente também no programa 'Arena SBT' da última segunda-feira (18), o Diretor de Futebol do Corinthians, Alessandro Nunes, admitu que há procura por esse atleta, mas que internamente existe cautela.

- Vamos, sim, contratar um atleta para essa posição, mas com muita cautela e muita segurança. O torcedor tem que entender que faremos como foi em 202. É difícil cravar uma data. Gostaríamos de ter esse atleta já no início dos trabalhos, mas não foi possível - declarou o cartola.

Contudo, confirmando informações anteriores do L!, o ex-atleta do Timão garantiu que o clube não abriu negociação com nenhum dos seus alvos, pois monitora o mercado por atletas livres de contrato e que utilizará o tempo do Paulistão pra seguir monitorando as possibilidades.

Cavani foi o grande sonho para a camisa 9 corintiana, exisita a expectativa que nesse início ano ele rescindisse com o Manchester United, da Inglaterra, mas a tendência é que ele fique no clube até o fim do contrato, no meio do ano. O Timão fez uma busca de informações, conversou com o estafe do jogador sobre a possibilidade, apresentou até números, que agradaram, mas só formalizaria o interesse em caso de rescisão contratual com o clube inglês, o que não aconteceu.

- Não fizemos nenhuma proposta oficial para algum atleta. Mas a competição em si, o Paulista que vai ser a primeira, te dá um tempo e condição de analisar melhor para minimizar o erro. Estamos com muita tranquilidade e muita segurança para ser muito assertivo - afirmou Alessandro.

Diego Costa é um nome em potencial. O jogador confirmou que sairá do Atlético-MG, e o Corinthians aguardava a confirmação dessa rescisão para formalizar uma proposta. Roberto de Andrade deixou claro que até o momento da entrevista não havia feito proposta, mas deixou as portas atletas para conversar com o atleta.

- Não conversamos com o Diego Costa. Ele fez a rescisão ontem, domingo, hoje é segunda-feira. Estamos quietinhos no nosso canto, deixa ele resolver o que vai fazer da vida. Caso o empresário dele queira conversar conosco, vamos conversar. Mas não vamos procurar ninguém, não - afirmou o ex-presidente e hoje membro da diretoria corintiana.

O Timão entende que não consegue pagar a mesma coisa que o Atlético-MG arcava por Diego Costa, mas nas primeiras conversas sobre o tema internamente foi definido um valor que gira em torno de R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão pelo atacante, com o clube do Parque São Jorge pagando o teto e o Grupo Taunsa a parte excedente.

Futebol