PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Flamengo comemora 'recuperação consistente' no programa de sócios

Torcida do Flamengo na arquibancada do Maracanã, em duelo com o Barcelona de Guayaquil, pela Libertadores - Gilvan de Souza/Flamengo
Torcida do Flamengo na arquibancada do Maracanã, em duelo com o Barcelona de Guayaquil, pela Libertadores Imagem: Gilvan de Souza/Flamengo

22/10/2021 05h55

Classificação e Jogos

Enquanto briga pelo Brasileirão e Copa do Brasil, o Flamengo precisa lidar com a expectativa de decidir a segunda Copa Libertadores em três anos. E com a torcida não é diferente, tanto que o número de sócios-torcedores seguiu a tendência e recebeu um "boom" de adesões com a vaga assegurada para a final diante do Palmeiras, a ocorrer no dia 27 de novembro, em Montevidéu.

Recentemente, o programa Nação Rubro-Negra registrou 5,5 mil adesões em cerca de uma semana, por exemplo. Hoje são 68.220 sócios-torcedores (cerca de 5.800 do plano Maior do Mundo), sendo que o número total beirou os 50 mil num período de baixa, em que a torcida estava proibida de ir os estádios.

A Conmebol já sinalizou que o Flamengo terá direito a 6.500 códigos para destinar à sua torcida no primeiro lote de vendas, a iniciarem no dia 27, na próxima quarta-feira - atualmente está na fase de cadastro no site. E os sócios-torcedores do Fla terão prioridade.

"O grande benefício para a final da Libertadores será a prioridade na compra de ingressos. Esse é um jogo que terá uma enorme demanda e uma pequena oferta de ingressos. O sócio-torcedor terá, respeitando as normas do programa, a prioridade na compra de ingressos que a Comebol definir para o Flamengo", falou Gustavo Oliveira, vice-presidente de comunicação e marketing do Flamengo, ao LANCE!.

Por enquanto, o Estádio Centenário está com apenas 50% da capacidade permitida, porém o governo uruguaio negocia e se mostra otimista para a liberação máxima do palco da decisão continental.

Os clubes serão responsáveis por administrar as vendas dos ingressos nos setores atrás dos gols, cujo valor é de 200 dólares (o mais acessível). Apesar de uma intensa insatisfação nas redes sociais, não houve manifestação pública dos clubes acerca dos valores.

"Recuperação consistente" do programa

O Flamengo se mostra satisfeito com o atual crescimento do número de sócios-torcedores. O VP de comunicação e marketing crê que ações promocionais e os "principais ativos" de volta seguirão catapultando as adesões.

"Nos últimos 18 meses, todos os programas de sócio-torcedor dos clubes brasileiros sofreram muito com a proibição de público nos estádios. Com a liberação que temos hoje (ainda que parcial), o programa vem mostrando uma recuperação consistente. No caso do Flamengo, aliado à volta do público, temos a final da Libertadores. Ou seja: neste momento, o programa volta a oferecer seus principais atrativos. Além disso, estamos fazendo uma série de ações promocionais que estão deixando o nosso sócio-torcedor ainda mais interessante para a nossa torcida. Estamos com uma maior rede de descontos, premiações em produtos, melhor atendimento, entre outros benefícios", disse.

Sem citar metas até o fim do ano, o Flamengo está ciente da necessidade de ajustes em contratempos retratados por sócios, do Rio e off-Rio, e Gustavo Oliveira sublinhou o serviço da FlaTV + como um trunfo para que o clube volte aos tempos de 130 mil sócios-torcedores, por exemplo, visando 2022.

"Além do que já falamos, alguns produtos e serviços que estão em desenvolvimento poderão ser adquiridos por preços especiais pelo sócio. Um bom exemplo será a FlaTV +. Nosso sócio-torcedor poderá ter acesso a toda programação com 50% de desconto", completou.

Flamengo