PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Auxiliar de Abel afirma que Palmeiras não mudará estratégia no Paulistão e pede calma com Esteves

07/05/2021 00h22


Após a vitória do Palmeiras contra o Santos por 3 a 2 nesta quinta-feira (6), pelo Paulistão, João Martins concedeu entrevista coletiva, enquanto Abel Ferreira foi poupado novamente. O auxiliar técnico comentou sobre a situação do time no Paulistão e esclareceu que a estratégia para o jogo decisivo contra a Ponte Preta segue a mesma, já que a comissão entende que deve ser coerente com o planejamento do clube.

- Somos coerentes nas nossas decisões. O treinador foi muito claro, devido ao calendário, sobre o que queria do Paulista. Nunca engamos ninguém. Hoje foi mais uma prova clara de que esses jogadores estão preparados e confiamos neles 100%. Não vamos mudar nenhuma vírgula, porque sempre escolhemos os que achamos que estão mais preparados para o jogo seguinte. Não existem duas equipes. Para nós, somos todos iguais - declarou João.


>> ATUAÇÕES: Garçom, Scarpa brilha e é o melhor do Palmeiras no clássico

O português também ponderou sobre Lucas Esteves, que vinha sendo criticado pela torcida recentemente, mas que marcou o gol da vitória no clássico de hoje. O auxiliar deu respaldo à Cria da Academia e pediu equilíbrio nas análises.

- O futebol é isto. Andamos num turbilhão de emoções. Por isso temos que ser equilibrados. O Esteves, semana passada, não era o pior do mundo. E hoje não é o melhor do mundo. Não podemos viver assim. Todos nós queremos que as coisas corram bem, mas há dias que elas não correm tão bem. Temos que saber lidar com isso. É trabalhar. Não é estar agora no céu e semana passada também não estava no inferno. Hoje mais uma vez ficou provado que não podemos matar o jogador ao primeiro erro. Temos que acreditar, confiar, dar importância e puxar pra cima - afirmou o assistente.

Além disso, João Martins analisou a necessidade de trabalhar a versatilidade dos jogadores, dando ênfase na compreensão de jogo que é desenvolvida a partir de tal qualidade.

- Treinamos e exigimos isso (versatilidade dos jogadores). Os jogadores que estão no jogo sabem o que têm que fazer, independentemente de onde estão jogando. É mais fácil entender o jogo sabendo o que o colega está pensando e passando. Para isso, muitas vezes temos que passar por essas experiências - explicou.

Ainda em meio a uma densa sequência de jogos, o Palmeiras volta a campo neste domingo (9), contra a Ponte Preta, fora de casa, precisando de uma vitória para sonhar com a classificação para a próxima fase do Campeonato Paulista

Futebol