PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Pedido de Ceni no São Paulo, tático e conhecido de Chamusca: conheça Marcinho, reforço do Botafogo

02/03/2021 15h36

O Botafogo está perto de riscar uma posição na lista de prioridades de contratação para a temporada. O Alvinegro tem acordo encaminhado para fechar com Marcinho, que atuou pelo Cuiabá na temporada passada. O setor dos lados do campo era um dos principais alvos da diretoria nesta janela de transferência.

Se confirmada a contratação, Marcinho reencontrará uma pessoa importante para a sua carreira no Rio de Janeiro: Rogério Ceni, atual técnico do Flamengo. Quando comandava o São Paulo, em 2017, o comandante pediu a contratação do atacante, que estava no São Bernardo à época, e chegou a solicitar a compra dos direitos econômicos do atleta, que estava emprestado ao Tricolor.

O Marcinho foi um jogador que escolhi pessoalmente, liguei para o São Bernardo, foi talvez a escolha mais particular de todas. É um menino de bom caráter, bom jogador, faz funções diferentes. O São Paulo deveria comprá-lo em dezembro e acho que vai ser um investimento muito bacana para o clube - afirmou Ceni em 2017, após uma partida diante do Sport pelo Brasileirão.

REENCONTRO COM CHAMUSCA

Marcinho tinha vínculo ligado ao Goiás, mas atuou no Cuiabá por empréstimo na última temporada. No Dourado, conheceu Marcelo Chamusca, atual técnico do Botafogo, que deu o aval para o Glorioso concluir a negociação para o possível reencontro da dupla na temporada 2021.?

Apesar do aval do técnico, Chamusca não teve contato com a melhor versão de Marcinho no Cuiabá. O comandante deixou o Dourado no decorrer da Série B para aceitar uma proposta do Fortaleza, na primeira divisão. Em entrevista ao LANCE!, Pedro Lima, setorista da equipe mato-grossense no "Olhar Esportivo", explicou que os primeiros meses do atacante no clube não foram fáceis.

- Marcinho estreou contra o Oeste, no primeiro turno, entrando nos últimos minutos de jogo. Durante a semana ele teve uma inflamação na garganta e ficou internado por alguns dias, chegando a perder muito peso. Demorou quase um mês para se recuperar fisicamente e voltou contra o CRB, entrando e fazendo dois gols. Foi praticamente a estreia dele - afirmou.

Por conta do problema médico e o tempo para retomar a melhor forma de jogo, Marcinho foi ter mais espaço no Cuiabá apenas com Allan Aal, técnico que substituiu Marcelo Chamusca no decorrer da campanha na Série B

- Depois disso, criou-se uma expectativa, mas ele permaneceu oscilando entre titularidade e a reserva. Não pegou cadeira cativa no time. Chegou a pegar alguns jogos quando o time poupava pensando na Copa do Brasil. Com a saída do Chamusca, o Allan Aal passou a dar mais sequência para ele. Marcinho jogava bem aberto, fazendo a recomposição pela direita e sendo importante no contra-ataque. Aí sim ele virou titular, tendo sequência - completou.

Assim, o atacante se tornou uma das referências do Dourado na reta final da segunda divisão. Marcinho é um ponta que atua preferencialmente pelo lado direito do ataque e, apesar de não ser o mais rápido em comparação com outros atletas da posição, se destaca em outros pontos.

- Ele colaborava muito na recomposição e saída de jogo, com passes. Faltava um pouquinho de ele ser agudo na frente, porque ficava muito desgastado. Com o passar do tempo ele começou a render mais ofensivamente e foi uma das principais peças para o acesso do Cuiabá, terminando jogando bem. O Chamusca o conhece muito bem. Não tem muita velocidade, mas sabe dosar bem na técnica - analisou Pedro Lima.

Em 20 jogos na última Série B, Marcinho somou quatro gols e duas assistências. Por partida, teve, em média, 1 passe para finalização, 14.8 passes certos - 82% de aproveitamento -, 2.9 duelos no chão ganhos e 25% de acerto nos cruzamentos tentados. Os números são do "Sofascore".

Futebol