PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Palmeiras define numeração da Libertadores; veja camisas que ficaram livres

Willian e Vanderlei Luxemburgo durante o treino do Palmeiras na Academia de Futebol - Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Willian e Vanderlei Luxemburgo durante o treino do Palmeiras na Academia de Futebol Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

25/02/2020 08h00

O Palmeiras definirá nesta semana a sua numeração oficial para a temporada. A decisão precisa ocorrer até sexta-feira, quando o clube enviará para a Conmebol a lista de jogadores inscritos na Libertadores, e a competição permite que se usem somente camisas de 1 a 30. Dentro desse intervalo, há dez uniformes sem dono, e 11 jogadores no elenco com números "mais altos".

Estão vagas camisas ainda não preenchidas depois da saída de jogadores do elenco, como a 1, que era de Fernando Prass, a 3, antiga camisa do hoje aposentado e assessor técnico do clube, Edu Dracena, a 5, ex-uniforme de Thiago Santos, a 9, que era de Borja, a 16, usada por dois anos e meio por Deyverson, a 25, ex-número de Antonio Carlos, a 27, que era de Felipe Pires, e a 28, vestida por Hyoran de 2017 a 2019 (veja a lista de 1 a 30 abaixo).

Para preencher essas dez vagas, um atleta dos 31 do elenco atual de Vanderlei Luxemburgo ficará de fora. Estão com números mais altos do que os permitidos na Libertadores os goleiros Jailson (camisa 42) e Vinicius Silvestre (72), o zagueiro Emerson Santos (34), o lateral-esquerdo Lucas Esteves (46), os volantes Gabriel Menino (48) e Patrick de Paula (45), o meia Alan (40) e os atacantes Gabriel Veron (47), Angulo (38), Luan Silva (41) e Wesley (49).

Desses, o único que não está inscrito no Campeonato Paulista é Iván Angulo, que machucou a região do quadril defendendo a Colômbia no Pré-Olímpico, nas primeiras semanas do ano, e se recuperou recentemente. Mas um caso diferente está com Luan Silva, inicialmente emprestado pelo Vitória até maio e, se sua permanência não for prorrogada, não valeria muito a pena mantê-lo em uma lista que só poderia ser trocada no mata-mata, no segundo semestre.

E a diretoria ainda trabalha por mais jogadores no elenco. No momento, a tentativa está em trazer o lateral-direito Daniel Muñoz, mas as negociações com o Atlético Nacional não são consideradas fáceis e, por isso, já se admite a possibilidade de não tê-lo na fase de grupos da Libertadores, pois é curto o espaço de tempo para a definição de uma tratativa complicada.

Em relação aos reforços, o lateral-esquerdo uruguaio Matías Viña já foi apresentado com a camisa 17, que era do volante Jean, atualmente procurando um novo clube. O atacante Rony, por sua vez, desembarcou em São Paulo na sexta-feira informando que utilizaria a camisa 11, sem dono desde a saída de Ricardo Goulart (Willian a vestiu nas oitavas e quartas de final da Libertadores porque passou o primeiro semestre de 2019 sem condições físicas de entrar em campo e a sua 29 já estava com Arthur Cabral).

Veja a numeração atual do Palmeiras de 1 a 30 em 2020 (com as camisa vagas):

1 -

2 - Marcos Rocha

3 -

4 - Vitor Hugo

5 -

6 - Diogo Barbosa

7 - Dudu

8 - Zé Rafael

9 -

10 - Luiz Adriano

11 - Rony

12 - Mayke

13 - Luan

14 - Gustavo Scarpa

15 - Gustavo Gómez

16 -

17 - Viña

18 - Ramires

19 - Bruno Henrique

20 - Lucas Lima

21 - Weverton

22 -

23 - Raphael Veiga

24 -

25 -

26 - Victor Luis

27 -

28 -

29 - Willian

30 - Felipe Melo

Futebol