PUBLICIDADE
Topo

João Pedro diz que deixa Fluminense com sentimento de dever cumprido

João Pedro marcou o gol da vitória do Fluminense sobre o Fortaleza - Lucas Merçon/Fluminense FC
João Pedro marcou o gol da vitória do Fluminense sobre o Fortaleza Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC

14/12/2019 09h00

O atacante João Pedro, de 18 anos, teve um começo fulminante pelo Fluminense em 2019. Destaque nas categorias de base, a joia foi vendida para o Watford, da Inglaterra, antes mesmo de estrear pela equipe profissional. Em seu primeiro clássico, em março, João não se intimidou diante do Flamengo e marcou seu primeiro gol na carreira.

Com o passar dos meses, o garoto amargou o banco de reservas e um jejum de gols, enquanto o Fluminense lutava para não cair no Brasileirão. Com a missão cumprida no Brasil, o atacante viaja para a Inglaterra com um desafio semelhante, mas com um grau de dificuldade maior. Na difícil Premier League, a nova equipe do jogador ocupa a última colocação.

João Pedro falou sobre a expectativa pelo novo desafio com exclusividade ao "Lance!", analisou seu primeiro ano como profissional e deixou um recado ao torcedor Tricolor.

Confira, na íntegra, a seguir:

Qual é o balanço que você faz desta temporada, a primeira entre os profissionais?

(Foi) uma boa temporada, minhas atuações foram muito acima do que eu esperava.

A reta final não foi a das melhores, com você amargando a reserva e até mesmo nem sendo utilizado. Ao que você atribui essa fase não tão boa e a escassez de gols, já que o último foi no dia 7 de setembro?

Futebol é momento. Infelizmente, fiquei alguns jogos na reserva porque não vinha fazendo gols, mas mesmo assim com boas atuações! Mas foi um ano muito produtivo terminei como vice artilheiro do time.

Além de ajudar o Fluminense dentro de campo, as suas metas contribuíram para a saúde financeira do clube. Qual foi o seu sentimento quanto a isso, já que o seu rendimento foi primordial para o pagamento de outros funcionários e jogadores?

Nem pensava sobre isso, só queria estar dentro de campo e ajudar ao Fluminense.

No fim, além de livrar o Fluminense do rebaixamento, o elenco conseguiu a vaga na Copa Sul-Americana. O sentimento é de dever cumprido?

Sim, porque é uma competição internacional e da muita visibilidade para o clube.

Tem algo que você se arrepende ou poderia ter feito diferente em 2019?

Não! Sempre me empenhei e dei o meu melhor. Algumas vezes as coisas não acontecem do jeito que a gente quer mas faz parte do futebol.

O Watford está em último colocado no Campeonato Inglês. Como você analisa essa situação e como está a motivação para esse desafio, de livrar o time do rebaixamento?

Estou muito motivado, sempre tive o sonho de jogar na Inglaterra e espero chegar e ajudar o time a sair dessa situação.

Qual é o recado que você dá para o torcedor Tricolor?

Agradecer ao carinho que o torcedor sempre teve comigo. Eu passei metade da minha minha vida aqui e sempre terei um carinho enorme pelo clube.

Fluminense