PUBLICIDADE
Topo

Após oscilação e desfalques, Santos mostra força do elenco em decisão

28/03/2019 11h06

O Santos chegou para o confronto de ida das quartas de final do Paulistão com uma sequência de três jogos sem vencer, entre eles uma goleada por 4 a 0 para o Botafogo-SP, que brigava para não ser rebaixado. Após duas partidas consistentes e sem levar gols contra o Red Bull, garantiu vaga na semifinal do estadual e, principalmente, mostrou força e poder de reação nas decisões, algo que pode ser trunfo do técnico Jorge Sampaoli para esta reta final.

Não é novidade que o grupo de jogadores santistas assimilou rapidamente os conceitos do treinador argentino. Em pouco tempo de trabalho, mesmo sem os reforços necessários, o time respondeu dentro de campo e se tornou uma das maiores sensações do futebol brasileiro neste início de temporada. Mas em determinado momento o rendimento do time começou a cair, justamente às vésperas da fase decisiva do Paulistão.

Além da oscilação, das derrotas e do atraso salarial, o elenco ficou desfalcado de três importantes jogadores: Derlis González, Cueva e Soteldo. Todos por conta de convocações para suas respectivas seleções. No entanto, dentro de campo, a reação foi como se nada disso tivesse acontecido.

"Derlis, Cueva e Soteldo são jogadores muito importantes para a equipe, como somos todos nós, mas a decisão fica com a comissão técnica sobre quem deve jogar. O importante é que quando eles não estiveram, o Santos mostrou uma boa atuação, com pessoas que estão capacitadas para fazer o melhor para o Santos e foi isso o que aconteceu nos últimos jogos que fomos bem", avaliou o zagueiro Felipe Aguilar, em coletiva na última quarta-feira.

O depoimento do colombiano não desmerece os companheiros, apenas exalta o grupo, que conseguiu superar as ausências em um momento crítico da temporada e mostrar caminhos para que episódios parecidos possam ser tratados da mesma forma, com o Santos forte independentemente de nomes, o que parece ter sido o objetivo de Sampaoli desde o início do trabalho.

Para a semifinal, o comandante pode não contar com Gustavo Henrique e com Eduardo Sasha, que sentiram lesão na coxa na última terça-feira, e ainda dependem de exames nesta quinta-feira para saber se terão condições de jogo. O zagueiro virou titular absoluto do Peixe, enquanto o atacante tem ganhado espaço nos últimos jogos, criando nova alternativa para a comissão técnica.

Para Felipe Aguilar, que deve ter Luiz Felipe como companheiro de zaga, pouca coisa muda sem Gustavo Henrique, apenas o lado em que ele se posiciona na defesa, já que o fortalecimento do grupo acaba sendo o mais importante.

"A única coisa que mudou foi a minha posição de jogar no lado esquerdo, mas pelo entendimento, pelo trabalho dos dois zagueiros, não tenho nenhum problema. Somos bons amigos, nos entendemos muito bem e no campo nos ajudamos muito, seja com Gustavo, seja com Luiz Felipe, temos feito um grande grupo de trabalho e isso é o mais importante", concluiu o defensor.

Derlis González, Soteldo e Cueva estarão disponíveis para o jogo do próximo domingo e devem treinar com grupo já nesta quinta-feira, em preparação para o novo confronto de mata-mata fora de casa. Sampaoli e seus comandados ganham corpo e força em momento decisivo da competição estadual.

Santos