PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Cleber faz treinos extras e quer "apagar" estreia no Santos: "Não valeu"

 Ivan Storti/ Santos FC
Imagem: Ivan Storti/ Santos FC

27/05/2017 08h00

Do subúrbio de Salvador à Vila Belmiro, o zagueiro Cleber se esforça desde muito cedo pelo futebol. Quando menor era apaixonado pelo esporte e ganhou uma oportunidade única. Única porque, no local onde morava, os olheiros não iam, mas certo dia ele chamou a atenção deles. Porém o sonho se tornou uma desilusão:

"Eu viajei com muita dificuldade. Não tive base. Quando passei pelo Vitória e Bahia não me deram oportunidade por eu morar longe. Não tinha condições, eram três passagens e não tinha como", disse, em entrevista ao LANCE!

Após a frustração, o bahiano viu o boxe como uma saída. Ele treinou por um longo período e chegou a disputar competições na Bahia. Mas escolheu o gramado ao tatame.

Aos 16 anos Cleber se destacou em um jogo em São Francisco do Conde em sua cidade natal e dessa vez a situação tomou caminho diferente. Mal sabia ele que teria passagem pela Europa mais tarde.

Apesar de o passado ter sido sofrido, Cleber usa como uma forte motivação dentro do Santos. Tanto que começou a fazer treinos extras por conta da sua falta de sequência de jogos na equipe de Dorival Júnior - atuou em apenas nove jogos no ano. Para o defensor, cuidar de seu físico se tornou indispensável e trouxe muita tranquilidade.

"Quando é muito puxado na parte da manhã, eu trabalho à noite. Eu avisei o professor. Eu preciso, me ajuda, me traz confiança e ânimo. Me sinto bem com meu corpo. Aprendi muito na Europa e eu trouxe isso. Eu estou mais cuidadoso com meu corpo, é minha ferramenta. Sinto muita diferença, tanto que estou mais tranquilo e confiante. Estou com zero estresse", explicou em entrevista ao LANCE!

Apesar de valorizar o passado, o zagueiro pretende apagar parte dele: o jogo entre Santos e Vitoria, dia que estreou pelo Peixe no Campeonato Paulista com direito a expulsão. De cabeça baixa, Cleber afirma que a estreia não valeu e que dá tempo de recuperar. No entanto, o camisa 31 levou como uma lição.

"Eu não posso relembrar da minha estreia, não dá. Ela não valeu. Mas dá tempo de recuperar. Foi uma lição. E quero fazer uma marca melhor do que fiz em outros clubes, (no Corinthians, Cleber fez 31 jogos e teve apenas 7 derrotas) bater meus recordes. Tive uma sequência boa no Corinthians porque a equipe me ajudava e aqui no Santos eu tenho o mesmo. Tenho certeza de que isso acontecerá em breve", concluiu

Com passagens pela Ponte Preta, Corinthians e no Hamburgo (ALE), o defensor promete surpreender o torcedor santista. Mas para isso, terá que encontrar espaço na equipe do comandante santista.

Esporte