PUBLICIDADE
Topo

Santos

Renato Gaúcho diz Santos o procurou e revela surpresa com cobranças a Abel

Renato Gaúcho durante Palmeiras x Grêmio, pela final da Copa do Brasil - Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Renato Gaúcho durante Palmeiras x Grêmio, pela final da Copa do Brasil Imagem: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

11/05/2021 00h18

Após deixar o Grêmio no mês passado, Renato Gaúcho revelou nesta segunda-feira que foi contatado para assumir o comando do Santos. O técnico declarou que chegou a conversar com o presidente do clube, Andrés Rueda, sobre um possível acordo, mas ressaltou que não gostaria de treinar outro time no momento.

"Tive propostas de Cingapura e Dubai, com valores altos. E do Santos na semana passada. Tive algumas conversas muito boas com o presidente, que tem ideias maravilhosas. Mas coloquei para ele que, no momento, gostaria de descansar um pouco, curtir minha família e meus amigos, porque não adiantava eu ter saído do Grêmio e pegar outro trabalho", disse em entrevista ao SporTV.

"Ele falou que me esperaria por um mês, que era só dar a palavra. Mas falei que, infelizmente, não dava. Fiquei agradecido, é um grande clube, mas eu preciso descansar e não sei como seriam 30 dias. Poderia não cumprir a palavra. Mas quem sabe no futuro?", completou.

Renato também fez elogios a Abel Ferreira e afirmou que ele é um "grande técnico". Além disso, revelou que ficou surpreso com as cobranças sobre o português para conquistar títulos com o Palmeiras neste começo de temporada, afirmando que as pessoas esquecem rapidamente do trabalho dos treinadores e que "é muito difícil ser campeão".

"Na final da Copa do Brasil conversei bastante com o Abel, técnico do Palmeiras. É um grande técnico. Eu fiquei surpreso que no Palmeiras, o Abel, que conquistou a Libertadores e a Copa do Brasil e depois perdeu a Recopa, parecia que não tinha ganho nada. Infelizmente, as pessoas esquecem de repente. Lógico que todo mundo quer ganhar, mas não dá pra ganhar tudo", declarou.

"As pessoas esquecem do trabalho e das conquistas de um treinador da noite para o dia, e não pode ser assim. É difícil de entender. Hoje em dia, no Brasil, com essas redes sociais, você disputa cinco competições em um clube e todo mundo quer que você ganhe as cinco. Mas os outros também querem ganhar, os outros trabalham para isso. É muito difícil ser campeão, mas as pessoas acham que há uma facilidade em todas as competições e você tem que ganhar. E não é assim", concluiu Renato.

Santos