PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Crespo inicia trabalho no São Paulo nesta sexta-feira (26)

Hernán Crespo, técnico do São Paulo, em apresentação no CT da Barra Funda - Divulgação/São Paulo FC
Hernán Crespo, técnico do São Paulo, em apresentação no CT da Barra Funda Imagem: Divulgação/São Paulo FC

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

26/02/2021 06h00

Hernán Crespo iniciará seu trabalho no São Paulo nesta sexta-feira. Pela parte da tarde, o argentino comandará o primeiro treinamento à frente da nova equipe, embora ainda não tenha concluído os trâmites burocráticos para estar à beira do campo em uma partida oficial.

Crespo já vem participando da rotina do CT da Barra Funda, comparecendo a reuniões, entre outras coisas. Mas, até então, não vinha influenciando diretamente as decisões relacionadas ao campo, o que ficou a cargo do técnico interino Marcos Vizolli.

"Sou funcionário do clube, exerço funções. Amanhã o Crespo já se apresenta para treinamento no período da tarde com todas as condições possíveis que o São Paulo sempre deu. Vamos ajuda-lo, como ajudamos outros treinadores e comissões técnicas. Vamos ser fiéis, amigos", afirmou Vizolli.

Apesar de por enquanto não estar envolvido com aspectos técnicos e táticos do jogo do São Paulo, Crespo fez questão de conversar com o elenco na véspera do duelo com o Flamengo, no Morumbi, tentando passar um pouco de confiança e encorajando seus futuros comandados a fazerem uma grande partida. Independentemente do que foi dito, deu certo.

"O Crespo, quando chegou, fez uma apresentação, conversamos. Antes do jogo contra o Flamengo, ele conversou separadamente com os atletas. Tem ido ao CT, mas não tem participado dos trabalhos de campo. Nesta sexta (26) com certeza ele vai estar no campo, trabalhando, e estaremos lá para ajudar", prosseguiu Vizolli.

O auxiliar técnico fixo do time profissional também alertou para a necessidade de a torcida ter paciência com um novo treinador neste início de trabalho. Embora haja a urgência de o clube acabar com o jejum de títulos, é preciso lidar com o processo que está sendo implementado no São Paulo com serenidade.

"A torcida, infelizmente, vai ter que ter uma paciência um pouco maior. Treinador estrangeiro, que não fala muito bem nossa língua, tem outros tipos de trabalho, vai tentar se adaptar ao clube. Mas, o que me chama atenção é que nosso coordenador, Muricy, tem feito reuniões periódicas em relação à nossa conduta com os argentinos. Chegaram em seis, nosso staff também é um staff grande. Ele está tentando colocar todos nós no mesmo nível, no trabalho do dia a dia. Eles vão precisar, são pessoas novas, que precisam conhecer o futebol brasileiro. Então, sentir realmente o que é o campeonato. A ajuda já está existindo e isso é importante para que o clube possa ter resultados", concluiu.

São Paulo