PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Muricy diz que Crespo conta com Dani Alves e põe Hudson à disposição

Muricy Ramalho, novo coordenador de futebol do São Paulo - Divulgação/São Paulo
Muricy Ramalho, novo coordenador de futebol do São Paulo Imagem: Divulgação/São Paulo

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

23/02/2021 19h49

Em entrevista concedida ao programa Gazeta Esportiva nesta terça-feira, o coordenador de futebol do São Paulo, Muricy Ramalho, falou sobre as situações dos jogadores Daniel Alves e Hudson.

Sobre o camisa 10, Muricy reconheceu a dificuldade do clube arcar com os salários, mas destacou que o atleta é importante e faz parte dos planos do técnico Hernán Crespo.

"O Daniel é importante demais. Claro que tudo tem que ter o acerto financeiro, porque a dificuldade é enorme. Ele é nosso líder, nosso capitão e o Crespo conta com ele, gosta dele. O importante é o técnico gostar dele. Mas tudo depende das conversas", explicou.

Já em relação a Hudson, o ex-treinador apontou que o Tricolor precisa de um primeiro volante, mas a permanência do jogador depende de Crespo.

"A gente só tem um volante, que é o Luan. Quando o Luan sai, a gente fica sem. Essa opção que eu dei para o Crespo também. Ele também tem a liberdade de buscar alguém, porque nós precisamos. Mas o Hudson é nosso. Vamos deixar ele voltar e resolver com o Crespo", afirmou.

Relação com o novo treinador

O dirigente também afirmou que a contratação de Crespo passou pelo seu crivo, e que conversa constantemente com o novo comandante sobre possíveis reforços.

"A única coisa que me contrataram é para isso, para falar de técnico e jogador. Então eu conversei muito com ele. A videoconferência passou por mim. Não iria entrar um treinador sem eu dar minha opinião, porque eu fui contratado para isso", disse.

"A gente se reúne com o Crespo toda hora. Levei ele para Cotia, fico conversando demais com ele. Vamos ter que trabalhar muito e com pouco dinheiro. O importante é que ele me dá abertura. Eu tenho que chegar com calma com os treinadores, porque não é mais minha função. Minha função é ajudar, dar apoio. Mas ele dá muita oportunidade para de falar de futebol, em termos táticos, de futebol brasileiro, que eu conheço mais do que ele. Isso está sendo bom. O mais legal dele é que está com fome. Está no começo da carreira, quer ganhar, está com muita vontade e é um cara preparado", explicou.

"Vim para ganhar"

Ciente da má fase pela qual o time passou nas últimas rodadas do Brasileirão, Muricy disse que não retornou para ser "mais um".

"A gente vai ter que ser criativo, mas eu não vim aqui para ser mais um, ou estaria morando na praia sossegado, não vim aqui de graça, vim para ganhar. Vamos ter que investir alguma coisa. Entrevistei dez técnicos, caras bons, não mais ou menos", afirmo.

Ele sinalizou que o Tricolor vai precisar se reforçar para disputar a temporada, mesmo vivendo um momento financeiramente delicado.

"Precisa de um (camisa) nove também. Precisamos nas três áreas, um atrás, meio campo, um 10 que pensa jogo, atacante. Não é difícil, mas a parte econômica está complicada, encontramos negócio difícil, estamos trabalhando demais. O São Paulo está em uma situação complicadíssima na parte financeira", disse.

Elogios a lateral da base

Muricy também fez elogios a Welington, de 20 anos e formado nas categorias de base do clube. Com Reinaldo e Léo suspensos, o jovem pode ser uma opção para o jogo contra o Flamengo, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

"Na lateral nós temos um moleque que eu acho que vai surpreender, que é o Welington. É da base, estamos preparando ele, eu acho que chegou a vez dele. Tem até chances de jogar (quinta-feira). É possível acontecer, e é um garoto que estamos levando muita fé nele", disse o ex-treinador.

São Paulo