PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sem tempo, Sá Pinto tenta ajeitar o Vasco com conversas

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

20/10/2020 13h23

O novo técnico do Vasco, o português Ricardo Sá Pinto chegou ao Rio na última sexta-feira. Sem tempo para trabalhar com o time, ele tenta através de conversas motivar e corrigir alguns pontos visando o confronto desta quarta-feira diante do Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro.

Sá Pinto esteve em Porto alegre no domingo, onde assistiu das arquibancadas a derrota do Cruzmaltino para o Internacional, por 2 a 0. Na segunda-feira, o dia do mister foi bastante movimentado. Pela manhã ele deu início ao processo para regularizar sua situação no país e poder atura na beira do gramado. A sua presença no banco de reservas contra o Timão é incerta.

Independente de estar ou não no campo, Sá Pinto assumiu o comando da equipe em São Januário. A semana começou com uma conversa com o elenco, para passar um pouco de suas ideias de jogo. Mas os contatos não têm se limitado aos atletas, e o treinador esteve com profissionais de vários setores ligados ao futebol.

Um dos que tem mais recebido atenção de Sá Pinto é o auxiliar Alexandre Grasseli. Ex-treinador do Sub-20, ele asumiu interinamente o time principal após a saída de Ramon Menezes, e comandou a equipe nos últimos dois jogos. Os dois assistiram juntos a um coletivo do qual participaram os jogadores que não atuaram contra o Inter.

Na parte da tarde, Sá Pinto promoveu trabalhos físicos, técnicos e táticos nos gramados dos campos anexo e principal da Colina. O mister cobrou bastante movimentação e intensidade ao longo de toda a movimentação, que contou também com a presença dos atletas que iniciaram o jogo contra o Colorado, no Beira Rio.

Ricardo Sá Pinto veio de Portugal acompanhado por Rui Mota (auxiliar), Miguel Moreira (preparador físico) e Igor Dias (analista).

Terminada a 17ª rodada, o Vasco caiu do 12º para o 15º lugar na tabela do Brasileiro com 18 pontos. O Cruzmaltino está a apenas 2 pontos da zona do rebaixamento, mas tem 2 jogos a menos do que a maioria dos participantes da competição.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Futebol