Tite diz que gramado do Maracanã prejudicou rival do Fla: 'Inadmissível'

O técnico do Flamengo, Tite, disparou contra a situação do gramado do Maracanã após a vitória de 3 a 0 rubro-negra sobre o Volta Redonda, em jogo válido pelo Campeonato Carioca ocorrido nesta tarde. Ele, inclusive, falou que o campo atrapalhou um jogador da equipe adversária em lance que gerou gol. O auxiliar Matheus Bachi e o diretor Bruno Spindel também participaram da entrevista coletiva.

É inadmissível. É inadmissível o Maracanã ter este gramado. Não sei quem é o responsável, estou falando de diagnóstico. É inadmissível. O segundo gol de pênalti que aconteceu: o lance prejudicou o Volta Redonda. O pênalti aconteceu porque o gramado prejudicou o jogador do Volta Redonda e o juiz deu pênalti. Tem que ser para todos. Não dá para ter um campo assim. Não dá Tite em entrevista coletiva

O que mais Tite falou?

Evolução do time. "É tempo, um processo todo. Tenho ouvido algumas pessoas sensatas que falam que futebol demanda tempo. Alguns aspectos importantes, como físicos, táticos, padrão... mas estou feliz pelo grupo todo: por aqueles que começaram hoje e pelos que começaram no outro jogo. A gente fala da equipe: a valorização é do resultado, do desempenho e também da equipe."

Time com pontas. "Em termos táticos, a equipe está ajustada com externos desde o ano passado. Ela precisa de tempo para coordenar com um flutuador, um articulador. Acham que em outras equipes que tinha articular, fiz assim com os dedos o cara começou a jogar na hora? Precisa de tempo para ajustar a flutuação."

Pedido de desculpa. Eu tenho que pedir desculpa: eu prejudiquei o Victor Hugo. Eu dei a ele [no último jogo] uma função que não é usual e nem a melhor para ele. Queria ver ele como segundo meio-campista central e não é a posição dele. Eu e a comissão erramos e prejudicamos ele. Peço desculpas, entendemos o desempenho por essa questão. Ele é 10, 7 ou 11. Tenho que ser justo. Isso vai me deixar em paz. Ele tem que saber e a família dele também."

Tite, técnico do Flamengo, durante jogo contra o Volta Redonda
Tite, técnico do Flamengo, durante jogo contra o Volta Redonda Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Situação de Allan. "Está retomando, ele ficou muito tempo parado. A gente recuperou ele no final e está retomando o melhor nível. Por mais treinamentos que você faça, o ritmo de jogo quando você tem um tempo muito espaçado fora [prejudica]. Ele é muito concentrado e tem muita qualidade. O campo vai falar, tal qual eu fiz com o Victor Hugo. Na bola, tudo é possível, não dá para dizer que não vai. As coisas se ajustam desde que a gente tenha condição de oportunizar."

Atuações dos pontas. "Os externos, quando for flutuação, podemos usar de um lado ou outro. Voltamos ao melhor nível dos externos e que bom. Vocês acham que fiz com o Jadson assim [estalando os dedos] para que ele fosse o melhor jogador do Brasileirão em 2015? Precisa de tempo. Falei de uma história de um jogador de flutuação. Não estou comparando jogador, mas sim função. O Bernardo Silva, que é um articulador, demorou tempo para que pudesse produzir. São aspectos para refletir."

O que auxiliar Matheus Bachi falou?

Conversa com Igor Coronado. "A gente acompanhou o ano passado diversos campeonatos quando estivemos 'off'. Acompanhamos vários atletas. Deixamos muito claro para a direção nossas ideias de contratação, mas estamos abertos a oportunidades que possam agregar em um elenco forte. A gente tem noção que as Datas Fifa podem machucar nossa equipe. Tive contato com ele para saber qual a ideia dele, e depois tudo foi conversando com a direção."

Continua após a publicidade

Quem escalar do meio para frente? "Temos muita qualidade de elenco. Fica difícil para gente tomar decisões nos jogos. O Luiz vem trabalhando duro desde que a gente chegou, ganhou o espaço dele. Podemos arrumar maneiras de potencializar todos: o Luiz, o Nico, o Arrascaeta, o Gersón... temos que entender e dar o tempo para ver como as peças vão funcionar junto."

O que Spindel falou?

Juan fora do Fla? "Primeiro, não tem nada oficial neste sentido sobre o Juan. A gente até tomou um susto quando saiu uma matéria dizendo que ele tinha ido para a CBF. Por acaso, eu e o Marcos estávamos em uma reunião fora do CT e, imediatamente, liguei para lá e o Juan estava no campo e trabalhando normalmente com a comissão técnica. É uma pessoa de um caráter incrível e excelente profissional. Ele está seguindo o trabalho dele normal e sem alteração".

Mudanças institucionais. "O Luiz Carlos é o novo gerente de futebol com a saída do Fabinho. A gente fica sempre triste de um companheiro de trabalho sair, mas ele está indo para uma função de diretor de um clube grande do país, a gente deseja boa sorte a ele e fica... é um reconhecimento do mercado a capacidade do Fabinho. O clube tem uma estrutura profissional que trabalha junto com atletas e comissão. O Marcinho está na supervisão junto com o Luiz Carlos na gerência. Todas as funções que precisam ser desempenhadas... o futebol é um esporte complexo. Todas as funções que precisam ser executadas para apoiar comissão e atletas continuam na sua totalidade. A gente já deu boas-vindas ao Luiz Carlos, que é um profissional que o clube confia muito. A gente está muito tranquilo com o movimento que foi feito de substituição ao Fabinho."

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes