Técnico do Inter vê 'campo ruim e jogadores cansados' no futebol brasileiro

O técnico Eduardo Coudet apontou alguns problemas no futebol brasileiro, em coletiva após a vitória do Internacional sobre o Bragantino no último domingo.

O que aconteceu

Coudet se mostrou descontente com a sequência de jogos em curtos intervalos e com o estado do gramado do Beira-Rio no Campeonato Brasileiro.

O comandante argentino alegou que os jogadores ficam muito cansados por causa da sequência desgastante de partidas na competição.

Ele também disse que vê "campos ruins" desde 2020, quando ainda estava na sua primeira passagem pelo Inter.

Sempre falei o mesmo, desde 2020, o que acho: campo ruim e jogadores cansados. É a minha humilde opinião.
Eduardo Coudet

O Internacional jogou oito partidas em 24 dias antes da pausa para a Data Fifa, fator que gerou reclamações de Coudet. A equipe terá agora mais três compromissos pelo Brasileirão em pouco mais de uma semana.

Os colorados se preparam para o jogo contra o Cuiabá, na Arena Pantanal, nesta quarta (29), às 20h (de Brasília). Depois disso, o time gaúcho encara Corinthians e Botafogo.

O que mais ele disse

Maratona de jogos: "O problema é o calendário. Quando vejo TV, todos os técnicos falam o mesmo. É muito difícil. Agora, vamos jogar quarta e depois sábado, nem 72 horas, não tem como recuperar. O jogo com o Palmeiras era o oitavo seguido em 20 dias. Tinha que perguntar para eles quem podia iniciar. Jogadores muito cansados e esgotados. Isso prejudica o produto."

Continua após a publicidade

Cansaço: "Jogadores cansados não vão jogar igual. Sempre falei o mesmo, desde 2020, o que acho, campo ruim e jogadores cansados. É a minha humilde opinião. O que posso falar contra o futebol brasileiro é isso. Campo ruim é muito difícil mostrar o melhor que tem no futebol brasileiro, que é a técnica."

Problema com gramado do Beira-Rio: "Tenho que falar que não temos o campo que queríamos porque precisa fazer show e acontece com todos."

Reclamações sobre sintético: "Não gosto de jogar no sintético, mas com todo dinheiro que se move no futebol acho que podemos dar maior importância a campos bons e naturais porque ajuda muito."

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes