PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Juninho Paulista detalha negociações e cancelamento de Brasil x Argentina

"Eu não sei porque não quiseram ir, era uma programação deles", disse o atual coordenador de seleções da CBF - Lucas Figueiredo/CBF
"Eu não sei porque não quiseram ir, era uma programação deles", disse o atual coordenador de seleções da CBF Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Do UOL, em São Paulo

20/05/2022 17h50

Juninho Paulista, atual coordenador de seleções da CBF, detalhou as negociações que culminaram no cancelamento de Brasil x Argentina, amistoso que chegou a ser confirmado para o mês que vem.

Participando do "Flow Sport Club", o ex-meia explicou primeiramente a questão burocrática envolvendo contratos para a realização do jogo, classificado como "Superclássico das Américas".

"Nessa questão dos amistosos, tem a Pitch, que é detentora dos direitos dos amistosos da seleção brasileira. Ela tem uma parceria com a Torneos, que é uma empresa que tem os direitos dos amistosos da Argentina. Eles organizam esse jogo chamado Superclássico das Américas. A gente faz esses clássicos rodando o mundo e eles fazem toda a negociação", iniciou.

"Tivemos o Superclássico na Austrália em 2017 e foi um sucesso, com quase 100 mil pessoas em um estádio no estádio da Austrália. Quiseram levar o jogo para lá de novo. Ok, temos um contrato e temos que entregar esse jogo para a Pitch. A Argentina também tinha dado o 'ok' e organizou-se o jogo na Austrália", prosseguiu.

Juninho, então, revelou que ficou sabendo da súbita recusa da AFA pouco antes de isso se confirmar — e em meio ao anúncio local sobre a existência da partida.

"Aí recebi as informações [sobre o cancelamento] no período em que o jogo já estava anunciado pelo governo de Melbourne. Recebíamos informações de que eles não iriam. Eu não sei porque não quiseram ir, era uma programação deles, queriam liberar os atletas antes. Mas tem contrato e agora vai dar uma briga jurídica lá entre as empresas e a AFA. Já tinham mais de 50 mil ingressos vendidos. Deu até gastrite [lidar com a AFA]", finalizou ele ao podcast.

Seleção Brasileira