PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Juninho Paulista explica ausência de Veiga na seleção e cita concorrentes

Coordenador de seleções da CBF elencou três jogadores que, na opinião da comissão, brigam por vaga com meia do Palmeiras - Reprodução/YouTube
Coordenador de seleções da CBF elencou três jogadores que, na opinião da comissão, brigam por vaga com meia do Palmeiras Imagem: Reprodução/YouTube

Do UOL, em São Paulo

20/05/2022 17h01

Classificação e Jogos

Atual coordenador da CBF, o ex-meia Juninho Paulista explicou a ausência do nome de Raphael Veiga, do Palmeiras, na última convocação da seleção brasileira feita pelo técnico Tite.

Convidado do podcast "Flow Sport Club", o dirigente citou que o jogador de 26 anos está sendo monitorado e que trata-se de uma opção da comissão. Ele ainda citou a escolha por Danilo, volante também do time paulista, como exemplo.

"O Veiga está na nossa 'lista larga'. A gente olha tudo, inclusive as concorrências por posição. Quando analisamos o Danilo, por exemplo, temos a questão de que Casemiro [Real Madrid] e Fabinho [Liverpool] estarem na final da Liga dos Campeões e se apresentaram para a gente só depois de quatro, cinco dias. Com isso, não sei se estarão disponíveis para o primeiro jogo dos amistosos", iniciou.

Juninho ainda citou três jogadores convocados frequentemente que, na visão da comissão de Tite, são concorrentes de Veiga por uma vaga na Copa do Mundo.

"O Veiga tem se destacado e tem a concorrência: no nosso modelo de jogo, ele concorre com Paquetá, Coutinho e inclusive com o Neymar. Não é porque a gente não quer e que ele não esteja merecendo, mas é uma opção. Quando temos vários jogadores nessa posição, é uma opção de levar ou não", concluiu o ex-jogador ao podcast.

Tite já falou sobre tema

No início da semana, o próprio Tite repercutiu a questão em participação no podcast "Fala, Brasólho". Para o treinador, que também citou Hulk, não há, no momento, nomes para tirar de sua lista.

"Eu aceito. Convoco todos que quiserem. Só me diz quem eu tiro também. Só podem 23 ou 26. Só dizem que eu tenho que convocar, mas não dizem quem eu tenho que tirar", brincou o comandante da seleção.

Seleção Brasileira