PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

São Paulo vence Wilstermann na altitude e se mantém 100% na Sul-Americana

Igor Gomes comemora gol do São Paulo contra o Jorge Wilstermann pela Sul-Americana - Fernando CARTAGENA / AFP
Igor Gomes comemora gol do São Paulo contra o Jorge Wilstermann pela Sul-Americana Imagem: Fernando CARTAGENA / AFP

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/04/2022 21h08

Classificação e Jogos

No rodízio de Ceni, o time misto do São Paulo venceu o Jorge Wilstermann-BOL por 3 a 1 na noite de hoje (28), na altitude de mais de 2.500 metros de Cochabamba, na Bolívia, pela terceira rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana. Os gols do Tricolor foram marcados por Igor Gomes, Reinaldo e Marquinhos, enquanto Osorio descontou para os donos da casa.

Com a vitória, o São Paulo mantém os 100% de aproveitamento no torneio continental e se isola ainda mais na liderança do Grupo D, agora com nove pontos, cinco a mais que o segundo colocado Everton-CHI. Ayacucho-PER, com três, e Jorge Wilstermann, com um, completam a chave.

Pela Sul-Americana, o São Paulo volta a campo na próxima quinta (5), novamente às 19h15, quando visita o Everton-CHI. Antes, na segunda (2), às 20h, o Tricolor recebe o rival Santos no Morumbi pelo Campeonato Brasileiro.

Live do São Paulo

Quem foi bem: Igor Vinicius

O lateral-direito, muitas vezes criticado por parte da torcida do São Paulo, fez partida segura defensiva e ofensivamente. Quase marcou em subida ao ataque no primeiro tempo e depois deu a assistência para o xará Igor Gomes abrir o placar na Bolívia. Atuação para dar confiança.

Quem foi mal: Arboleda

O zagueiro equatoriano entrou desligado na partida, falhou em saídas de bola e cometeu erros em lances capitais. No principal deles, cometeu o pênalti bobo que resultou no gol do Jorge Wilstermann. Jogo para esquecer.

Cronologia do jogo

Apesar da altitude, o São Paulo não teve problemas para controlar o jogo desde o início. Depois de boas chances com Igor Vinicius e Luciano, Igor Gomes abriu o placar aos 22 minutos do primeiro tempo.

A partida parecia tranquila e bem administrada, mas um pênalti cometido por Arboleda e convertido por Osorio, aos 30, freou o ímpeto do São Paulo e deu confiança para o Jorge Wilstermann arriscar mais. O Tricolor esboçou uma reação rápida, mas Luciano teve gol anulado por impedimento aos 33.

O segundo tempo começou em ritmo mais lento para ambas as equipes, mas logo o São Paulo voltou a pressionar. Aos 11, Rigoni cobrou uma falta no travessão. No lance seguinte, Alisson cabeceou por cima em outra chance de perigo. O Tricolor voltou à frente do placar aos 18, após pênalti convertido por Reinaldo. Marquinhos fechou a conta com belo gol da entrada da área aos 39.

O jogo do São Paulo

O time misto escalado por Rogério Ceni teve início promissor, envolvendo a defesa do Jorge Wilstermann com toques rápidos, triangulações e ultrapassagens. O São Paulo controlou as principais ações com posse de bola e boas chances, mas pareceu sentir o empate nos minutos finais do primeiro tempo. A mesma postura foi mantida na etapa final, e o Tricolor foi recompensado com o gol de pênalti de Reinaldo e, por fim, aumentou a vantagem com Marquinhos.

O jogo do Jorge Wilstermann

Em má fase, o time boliviano nem parecia jogar em casa e com a altitude ao seu favor. Quase não conseguiu trocar passes com objetividade no primeiro tempo, mas foi presenteado com um pênalti bobo cometido por Arboleda. Na etapa final, começou recuado e sem quase sem oferecer perigo ao São Paulo. Depois do gol de Reinaldo, cresceu na partida em busca do empate, teve chances claras, mas não conseguiu igualar o placar novamente e ainda levou o terceiro.

De Igor para Igor

O primeiro gol do São Paulo, marcado por Igor Gomes, contou com a assistência de Igor Vinicius. Os dois "Igors" também protagonizaram outro lance de perigo na partida, ainda aos 7 minutos do primeiro tempo, quando o lateral recebeu lançamento de Reinaldo e parou em Poveda após drible e finalização. O meia não conseguiu aproveitar o rebote.

Tem pênalti? Chama o Reinaldo

O lateral-esquerdo manteve o bom aproveitamento em cobranças de pênalti e chegou ao quarto gol pelo São Paulo na temporada. Todos feitos da marca da cal.

Volpi titular mais uma vez na Sula

Mais uma vez titular na Sul-Americana, mas dessa vez com Jandrei no banco, o goleiro pulou para o canto certo, mas não conseguiu defender o pênalti cobrado por Osorio. Antes disso, fez ótima defesa em finalização de Chávez, que estava em posição duvidosa. Com os pés, Volpi vacilou em duas saídas de bola, mas não comprometeu a vitória do São Paulo.

Sara vira preocupação para clássico

No fim do primeiro tempo, o meia do São Paulo sofreu uma falta de Echeverría, levou a pior e pediu substituição (Marquinhos entrou). Pode ser problema para Ceni no clássico contra o Santos, na segunda (2).

Lembra dele?

Titular do Jorge Wilstermann nesta noite, o argentino Andrés Chávez reencontrou o São Paulo, clube que defendeu entre 2016 e 2017 em passagem discreta. O atacante parou em Volpi em uma oportunidade, mas no geral levou pouco perigo ao ex-clube e, felizmente para o São Paulo, não fez valer a lei do ex.

FICHA TÉCNICA:

JORGE WILSTERMANN-BOL 1 X 3 SÃO PAULO

Competição: Copa Sul-Americana, 3ª rodada da fase de grupos
Estádio: Félix Capriles, em Cochabamba, na Bolívia
Data e horário: 28 de abril de 2022, às 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Ortega (COL)
Assistentes: Jhon León (COL) e Dionisio Ruíz (COL)
Cartões amarelos: Robson dos Santos, Santiago Echeverría, Osorio e Ortiz (WIL); Luan, Igor Gomes e Rafinha (SPFC)
Gols: Osorio 30'/1ºT (WIL); Igor Gomes 22'/1ºT, Marquinhos 39'/2ºT e Reinaldo 18'/2ºT (SPFC)

JORGE WILSTERMANN: Bruno Poveda, Maximiliano Ortiz, Santiago Echeverría, Ronny Montero e Robson dos Santos (Francisco Rodríguez); Cristhian Machado, Vargas (Áñez), Moisés Villarroel e Serginho; Chávez (Ballivián) e Osorio. Técnico: Sergio Migliaccio.

SÃO PAULO: Tiago Volpi, Igor Vinicius (Rafinha), Arboleda, Léo e Reinaldo; Luan (Andrés Colorado), Gabriel Sara (Marquinhos), Igor Gomes e Alisson; Eder (Rodrigo Nestor) e Luciano (Rigoni). Técnico: Rogério Ceni.

São Paulo