PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Juca Kfouri dá cartão vermelho para Hamilton Mourão: 'tripudiou da tortura'

Colaboração para o UOL, em Aracaju

19/04/2022 16h51

Tripudiar, na definição do dicionário, divertir-se com desenvoltura e animação; exultar. Na opinião de Juca Kfouri, foi isso que fez o vice-presidente da República, General Hamilton Mourão (Republicanos), ao comentar os áudios inéditos do Superior Tribunal Militar (STM) divulgados no último domingo (17) pela jornalista Miriam Leitão no jornal O Globo. Segundo as gravações, os militares tinham conhecimento sobre as torturas cometidas por agentes do Estado durante a ditadura militar.

No Cartão Vermelho #7, transmitido pelo UOL Esporte nesta terça-feira (19), os jornalistas Juca Kfouri e José Trajano repudiaram a maneira jocosa com que o vice-presidente da República tratou a questão. Juca chamou Mourão de "general de mentirinha" e disse que ele envergonha o Exército e as Forças Armadas do país ao ironizar a dor das vítimas e de suas famílias. Entre as ações da ditadura desveladas, estão a tortura de mulheres grávidas e confissões obtidas a marteladas.

"O cartão vermelho dessa semana só podia ser para esse general de mentirinha chamado Hamilton Mourão, que ao ter conhecimento do que denunciou Miriam Leitão disse que estão todos mortos, disse ninguém vai ser punido por isso, deu gargalhada, tripudiou sobre uma história terrível que envergonha a nacionalidade e há de envergonhar o Exército Brasileiro, as Forças Armadas do país, os militares honrados e humanistas que não podem concordar que alguém sob a proteção do Estado sofra maus-tratos, seja torturado e morto. O Mourão mais do que o cartão vermelho, merece o nosso repúdio e nosso nojo", afirmou Juca.

Os áudios inéditos divulgados por Miriam Leitão foram obtidos pelo historiador Carlos Fico, pesquisador especialista no período da ditadura militar e professor de História do Brasil da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Ele escolheu a jornalista pelo fato de ela mesma ter sido torturada durante a chamada "longa noite de 21 anos". O que foi lembrado por Trajano e Juca.

"A Miriam foi torturada e tripudiada pelo Eduardo Bolsonaro, que chamou de mimimi. Por causa disso o Eduardo Fico passou para a Miriam Leitão esse material que revela que todos os militares sabiam, alguns até repudiavam, mas eram coniventes com a tortura", disse Trajano. "A Miriam Leitão que foi torturada, colocada numa sala com 20 anos com uma cobra, uma sucuri", acrescentou Juca.

Ontem (18), ao ser questionado sobre os áudios do STM, Hamilton Mourão ironizou: "Apurar o quê? Os caras já morreram tudo, pô [risos]. Vai trazer os caras do túmulo de volta?"

'Jovens não sabem o que é ditadura'

Durante o Cartão Vermelho #7, Juca Kfouri ainda alertou a juventude sobre o que é viver num regime ditatorial. "Os mais jovens não conseguem imaginar o que é viver uma ditadura. Um tempo que fazer oposição poderia significar ser preso, torturado e morto. Isso aconteceu com mais de 400 brasileiros, mas é um assunto tabu."

"A anistia ampla, geral e irrestrita cometeu o equívoco de anistiar aqueles que no Estado cometeram violência, quem estava a serviço do Estado não pode ser anistiado se torturou. Não estou falando de combate, estou falando de pessoas torturadas e mortas", finalizou o colunista do UOL.

O Cartão Vermelho vai ao ar todas as terças-feiras, ao vivo, às 15h, no Canal UOL, no Youtube do UOL Esporte e nas redes sociais, além de também ficar disponível nas principais plataformas de podcast.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol