PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Antonio Tabet elege o maior vilão no Flamengo pela perda da Libertadores

Do UOL, em São Paulo

27/01/2022 04h00

O Flamengo perdeu para o Palmeiras com um gol na prorrogação da final da Libertadores há exatos dois meses, em 27 de novembro do ano passado, depois de um erro de Andreas Pereira que deu a oportunidade a Deyverson de fazer o gol do título, frustrando a torcida que esperava pelo tricampeonato continental. Mas para Antonio Tabet, o meio-campista não foi o maior vilão pela derrota no estádio Centenário, em Montevidéu (URU).

Na segunda parte da entrevista a Mauro Cezar Pereira, no programa Dividida, que vai ao ar amanhã (28), às 10h, no Canal UOL, Tabet afirma que o erro cometido por Andreas Pereira foi grave, mas que a diretoria foi a maior culpada ao manter o técnico Renato Gaúcho no comando depois da eliminação para o Athletico-PR na semifinal da Copa do Brasil.

"Para mim o maior vilão é a diretoria/Renato Gaúcho, são os dois, esses dois personagens, diretoria de um lado, que estava fazendo dancinha antes de o jogo começar, todo mundo felizinho, traz o Renato e todo mundo vê, era uma tragédia anunciada, não adianta dizer que não foi. O Renato estava vindo de uma trajetória descendente e na véspera do jogo, vendo vídeos de torcedor encontrando com os torcedores na rua e falando 'manda o Renato embora', e os caras 'calma, vamos esperar'", diz Tabet.

"Eles falavam como se tivessem certeza que o Flamengo fosse ganhar aquela Libertadores e que depois daquilo as coisas iriam se resolver ou que eles iriam finalmente tomar as mudanças. Calma o quê? Esperou o jogo acabar, o Flamengo perder e aí mandaram o Renato embora. Estava todo mundo vendo isso, esse tipo de covardia, de falta de 'colhão' mesmo para tomar uma decisão", completa.

Para o humorista e ex-vice-presidente de comunicação do Flamengo, seria covardia colocar toda a culpa pela derrota na falha de Andreas Pereira, considerando que ela poderia não ter custado tão caro se o Flamengo não estivesse desorganizado sob o comando de Renato Gaúcho.

"Eu acho até certa covardia creditar a derrota na falha absurda, bizarra do Andreas Pereira, foi uma falha horrível, uma falha que eu espero até que ele não cometa mais porque até vendo os posts nas redes sociais do momento do gol do Deyverson lá, se você reparar, nos replies tem muitos torcedores do Manchester [United] comentando, e vários deles falando assim 'típico do Andreas fazer esse tipo de coisa'. Só que eu preciso ser justo com o Andreas, para quem eu dou o benefício da dúvida, ele é um cara que estava fazendo uma ótima partida naquele dia e não o vi cometendo falhas daquele jeito em outros jogos do Flamengo", diz Tabet.

"A questão é que se o Flamengo do Jorge Jesus, que a gente gosta de falar tanto do Flamengo de 2019, ou um Flamengo organizador, bem treinado, com o elenco que tem a disposição, aquela falha não custaria o título, o Flamengo poderia estar com 3 a 1 e levaria um 3 a 2 ali, o Flamengo tem mais time que o Palmeiras, só que o Palmeiras tem mais técnico que o Flamengo e o cara entrou com o time organizado, segurou uma pressão do Flamengo em algum momento, fez o dever de casa voltou para casa com o tri da Libertadores, ou seja, o Palmeiras hoje é tri da Libertadores com justiça, e o Flamengo 'calma, calma'", conclui.

O Dividida vai ao ar às sextas-feiras, às 10h, sempre com transmissão em vídeo pela home do UOL e no canal do UOL Esporte no Youtube. Você também pode ouvir o Dividida no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e Amazon Music.

Futebol