PUBLICIDADE
Topo

Entenda o que ainda trava a saída de Pablo do São Paulo

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

13/01/2022 04h00

A novela sobre o futuro de Pablo deve demorar para ser decidida. O São Paulo está disposto a emprestar o atacante, mas aguarda uma sinalização positiva dele. Até o momento, o estafe do camisa 9 já recusou as investidas de Ceará e Santos. O grande desejo é uma volta ao Athletico.

O futuro de Pablo está sendo conduzido por Cícero Teixeira, pai do jogador. É ele quem tem conversado com os clubes e optado pelas recusas. No caso do Ceará, os dois clubes já haviam se acertado, com o time alvinegro aceitando pagar o salário integral do jogador. Depois de um tempo sem resposta, o pai de Pablo vetou o negócio.

Com o Santos a situação foi rápida. O time da Vila Belmiro se acertou com o São Paulo, com os clubes dividindo o salário, e ficou à espera da resposta do jogador. Ontem (12), no entanto, ouviu do pai dele que a ida para um rival não era vista com bons olhos e que o Athletico era quem mais agradava a Pablo. A negociação ainda não foi encerrada, mas o Santos está pessimista.

Esse desejo de Pablo pelo Athletico ainda não avançou para algo oficial, segundo pessoas do São Paulo ouvidas pelo UOL Esporte. O clube acredita que o movimento tem partido mais do pai do jogador e ainda aguarda uma movimentação do clube paranaense.

O principal entrave na negociação é financeiro. O São Paulo quer uma compensação para emprestar o jogador, algo que o Athletico não vê com bons olhos. Em contato com a reportagem, Mario Celso Petraglia, presidente do Athletico, apontou uma suposta má vontade do time paulista de negociar com o clube. "O São Paulo facilita para todos, menos para o Furacão".

Os dois clubes tiveram problemas no passado, como no caso clássico do atacante Dagoberto, que foi parar na Justiça —ele foi contratado pelo Tricolor em 2007 e ficou no time até 2011. Depois disso, no entanto, já fizeram outros negócios.

E Pablo é justamente um desses exemplos. O atacante foi vendido pelo Athletico ao São Paulo por 6 milhões de euros depois de ser o artilheiro da equipe em 2018, como peça fundamental na conquista da Copa Sul-Americana. No Morumbi, porém, a condição de maior contratação da história do clube obviamente elevou a pressão sobre o camisa 9, que nunca caiu nas graças da torcida mesmo tendo sido artilheiro do time em duas temporadas.

O São Paulo ainda tem uma dívida com Pablo, de valor não revelado, mas não vê isso como um problema para definir o futuro do jogador. O entendimento é que um empréstimo ajudaria o clube a pagar o que deve, já que parte do salário do camisa 9 deixaria de figurar na folha são-paulina.

Enquanto não define seu futuro, Pablo se recupera da covid-19. Ele foi um dos jogadores que contraíram a doença ainda nas férias e, por isso, ainda não se reapresentou. O São Paulo já soma 11 casos no elenco.