PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Tite repudia caso Maurício Souza e like do filho em publicação homofóbica

Do UOL, em São Paulo

29/10/2021 11h26Atualizada em 29/10/2021 13h37

Classificação e Jogos

O técnico Tite, da seleção brasileira, afirmou que "todo preconceito não deve existir" ao abordar o caso envolvendo o atleta de vôlei Maurício Souza, que foi demitido do Minas Tênis Clube após episódio de homofobia.

Questionado durante a convocação da seleção para as Eliminatórias da Copa, na manhã de hoje,.sobre o "like" dado pelo filho Matheus (auxiliar da seleção) no post do central, o treinador se mostrou contrário à atitude e pediu igualdade.

"Todo preconceito não deve existir. Estamos em processo de sociedade de igualdade, seja de cor, raça, sexo e tudo mais. Quem pode olhar (a resposta), na sequência aquilo que foi manifestado depois pela entidade (CBF), pode ter um complemento e uma resposta em cima da pergunta, aquilo que foi divulgado de forma pública", prosseguiu o treinador, fazendo alusão à nota publicada ontem pela CBF criticando a homofobia.

Ao jornal O Globo, a entidade disse que conversou com Matheus Bachi sobre a situação e que ele afirmou ter errado ao interagir com o post, pois "não compartilha de tal opinião". Segundo o jornal, o filho de Tite curtiu os posts em que Maurício Souza critica a bissexualidade de Joe Kent, o novo Superman, e apoia um beijo entre o Superman original e a Mulher Maravilha, publicado hoje em resposta à sua demissão do Minas Tênis Clube.

Juninho Paulista, coordenador de seleções, também se manifestou sobre o tema e reforçou o comunicado da entidade.

"A CBF soltou ontem um comunicado e isso retrata bem aquilo que a gente pensa. Diz assim: 'todos iguais'. E realmente é aquilo que a gente pensa. A CBF faz campanha já há mais de uma década em relação a isso, defende o esporte solidário, então, cores, origens, crenças, gêneros, ou condições físicas... isso não tem que existir. É da maneira que a gente pensa", disse.

Leia a carta da CBF:

"(A CBF) tomou conhecimento dos fatos e conversou diretamente com o funcionário citado, que reconheceu seu erro ao 'curtir' o post, pois não compartilha de tal opinião", explicou a entidade. "A Confederação reforça seu compromisso com um futebol livre de qualquer preconceito ou discriminação. Por meio da campanha 'Todos Iguais', existente há quase uma década, defende um esporte solidário e que integre todas as cores, origens, crenças, gêneros ou condições físicas, utilizando como plataforma de divulgação suas competições e atividades da Seleção Brasileira"

Seleção Brasileira