PUBLICIDADE
Topo

Santos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Maurício Barros: 'O Santos está muito vulnerável na defesa'

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

23/10/2021 22h10

O Santos encarou o América-MG na Vila Belmiro, hoje (23), e saiu derrotado por 2 a 0, resultado que deixa a equipe em cenário nada confortável no Campeonato Brasileiro. Com o placar negativo, o Peixe se mantém com 29 pontos, na luta para se afastar da zona de rebaixamento.

Na Live do Santos, transmitida pelo UOL Esporte após os jogos do Peixe, Maurício Barros e Rodolfo Rodrigues comentaram a atuação dos comandados do técnico Carille. Para Barros, os números do sistema defensivo do time são preocupantes, principalmente diante do histórico do treinador.

"Preocupa bastante esse número que você citou dos gols tomados, Rodolfo. A gente analisa o trabalho do Carille até agora. O Carille é conhecido, e se formou, como um treinador, primeiramente, de defesa. Treinador bastante pragmático, que fecha primeiro a casinha [defesa], para depois articular melhor o time no setor ofensivo. E isso não está acontecendo, o Santos está muito vulnerável na defesa", disse.

O jornalista lembrou o lance que ocasionou o primeiro gol do Coelho na partida — em pênalti que gerou ainda a expulsou de Jean Mota —, e acabou sendo crucial para os rumos do duelo.

"O lance definidor do jogo foi um ataque do Santos. Tem a defesa do Cavichioli, que lança para o Ademir, e, no mano a mano, quem estava marcando era o Jean Mota, que havia acabado de entrar na vaga do Camacho. Praticamente no último lance do primeiro tempo acontece aquilo. Muita desatenção, a bola estava com o goleiro adversário", lembra.

Rodolfo Rodrigues, colunista do UOL Esporte, concordou com o companheiro sobre a falta de atenção do Santos no lance.

"Uma desatenção total. Um lance super rápido, raro ver isso, um lançamento do goleiro cair no pé do atacante que está na cara do gol. Erro de posicionamento geral. E o Ademir é um jogador que vem se destacando no Brasileiro justamente pela velocidade (...). Vacilo muito grande. Foi um ataque do Santos, não pode tomar um gol de um lançamento do goleiro. Muito vacilo", apontou.

Durante a live, um espectador protestou contra o sistema defensivo: "Toda bola aérea é meio gol". Barros ressaltou que Carille vinha escalando o time no 3-5-2 e, hoje, usou o 4-2-3-1: "De fato, seja com três ou dois zagueiros, a defesa está muito vulnerável".

Rodrigues indicou as trocas feitas na zaga como um fator que tem contribuído para a atual situação:

"Acho que o Santos sentiu muito. A cada rodada, praticamente, é uma zaga nova. O Emiliano Velázquez chegou, estava tentando fazer o entrosamento com o Wagner Leonardo. O Wagner não jogou hoje, entrou o Danilo Boza. O próprio Kaiky está afastado... O Santos está sofrendo com essa dupla de zaga que não consegue se achar. Era uma dupla muito segura na temporada passada, com o Lucas Veríssimo e tal, mas está sofrendo demais nesta temporada".

Pouco depois, Maurício Barros voltou a lembrar que Carille é um técnico que se notabilizou por organizar times com sistemas defensivos mais sólidos.

"O Peixe tem 34 gols sofridos. Isso preocupa demais. Evidentemente não há um contentamento com o trabalho do Carille até agora. É um treinador muito sério, não mente, é direto, mas o que a gente vê é que no que ele se destacou, que é justamente montar time com defesas sólidas, todo o sistema defensivo, e, até agora, o Santos não tem mostrado essa evolução", afirmou.

O jornalista ressaltou ainda o que considerou um erro de avaliação de Carille ao desenhar a estratégia para encarar o América-MG.

"O Carille, antes do jogo, dizia o seguinte, para explicar a entrada do Tardelli: 'Vou trazer o Tardelli como um cara mais técnico, imaginando que o adversário venha mais fechado. Não vou ter espaço para tanta velocidade, preciso de um cara que articule mais o meio de campo'. Mas o América-MG não jogou fechado. Essa análise do Carille, em relação ao América-MG, parece que não foi tão correta. Estreia do Marquinhos Santos e parece que o que Carille esperava em relação ao adversário não aconteceu. O América veio para jogar para frente, já era bem organizado pelo Mancini. O Marquinhos Santos chegou, mas foi um time que veio para agredir o Santos".

O colunista do UOL Esporte também acredita que, talvez, o treinador do Santos tenha se equivocado na leitura para o confronto.

"Essa é até uma característica dos times do Marquinhos Santos. Neste próprio Brasileiro, o Juventude fez isso. O Juventude contra o Corinthians, na Arena. Corinthians estava com os reforços, todo mundo dava como certa a vitória do Corinthians, e o Juventude foi para cima. O Corinthians arrancou o empate no fim. E hoje foi o que aconteceu. Não sei se o Carille fez uma leitura certa do adversário", analisou.

A próxima edição da Live do Santos UOL será na quarta-feira (27), logo após a partida contra o Fluminense, pelo Brasileiro. Você pode acompanhar a live pelo Canal UOL, no app Placar UOL, na página do Santos no UOL Esporte ou no canal do UOL Esporte no YouTube.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Santos