PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Hazan: "São Paulo joga abaixo do esperado e deve ser reformulado em 2022"

Do UOL, em São Paulo

12/10/2021 04h00

O ano de 2021 parecia promissor para o São Paulo. Afinal, o time encerrou o jejum de títulos ao conquistar o Paulistão. Porém, as eliminações na Libertadores e Copa do Brasil, além do fraco desempenho no Brasileirão - com ameaça de rebaixamento - já fazem a diretoria pensar em mudanças para o ano que vem.

Na Live do São Paulo, programa do UOL Esporte após os jogos do Tricolor, os jornalistas Marcelo Hazan e Menon falaram sobre o futuro do elenco são-paulino. O cenário apontado por ambos é de reformulação, com apostas nas "crias" de Cotia e com algumas contratações pontuais, até pela situação financeira do clube.

"O São Paulo está muito abaixo do que se espera e do que se imagina. Essa reformulação continua com a nova gestão e deve continuar para o ano que vem. Vitor Bueno não vem sendo mais relacionado. O Pablo tem ficado mais no banco. O Shaylon tem pouquíssimo espaço. O Joao Rojas voltou a entrar depois de um tempo, mas também não conseguiu apresentar muita coisa. Deve haver mais saídas do que entradas de jogadores, o que me parece uma linha coerente com o que o time está apresentando até agora na temporada", comentou Hazan.

Menon ressaltou que alguns casos não têm uma solução tão simples para o Tricolor. "Não é fácil assim. Precisa ver a questão financeira. O Pablo custou 7 milhões de euros. Alguém vai pagar pelo menos um terço disso? O Orejuela custou 2 milhões de euros. Será que tem mercado? Tem que ter cuidado. O mercado não é fácil para o São Paulo, que não tem dinheiro. O Eder quer jogar, mas se ele não conseguir convencer o Crespo de que merece chance, vai querer sair. Dependendo dele, não fica para o ano que vem. Aí tem que procurar outro. Vai ter uma boa mudança. Será muito marcada por Cotia e vai precisar de duas, três contratações", avaliou o colunista do UOL.

Hazan reforçou a situação de Orejuela, que tem pouco prestígio. Nem mesmo a saída de Daniel Alves e a lesão de Igor Vinícius o fizeram ter mais oportunidades na equipe. "Dos jogadores que foram contratados, principalmente naquela primeira leva do ano, o Orejuela nem foi relacionado. O Igor Gomes está jogando improvisado na direita. São vários problemas com os quais o São Paulo precisa lidar", enfatizou, citando a escolha de Crespo nas últimas partidas por escalar um meia improvisado em vez de optar por um lateral-direito de ofício.

A estratégia de dar ainda mais espaço aos jovens de Cotia está clara, na opinião de Hazan, pelas movimentações nos bastidores do clube. "A valorização da base será cada vez maior. Nas últimas semanas, o São Paulo tem feito esse movimento de renovar contratos de jogadores da base. O Gabriel Sara foi o último, nessa semana. Já renovou com Welington e Rodrigo Nestor. A tendência deve ser essa: usar mais jogadores da base, saída de jogadores para 2022 e contratar um ou outro pontualmente. Mas não tem dinheiro. Esse é outro problema. O São Paulo não vendeu na janela do meio do ano e precisa fazer caixa com a venda de jogadores. A conta não é simples", concluiu.

Não perca! A próxima edição da Live do São Paulo será na quinta-feira (14), logo após a partida contra o Ceará pelo Brasileirão. Você pode acompanhar o programa pelo Canal UOL, no app Placar UOL, na página do São Paulo no UOL Esporte ou no canal do UOL Esporte no Youtube.

Futebol