PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

PVC vê 'fracasso' da seleção ontem e pede sequência para Gabigol

PVC, comentarista do Grupo Globo - Reprodução / SporTV
PVC, comentarista do Grupo Globo Imagem: Reprodução / SporTV

Colaboração para o UOL, em São Paulo

08/10/2021 15h20

Classificação e Jogos

Comentarista do Grupo Globo, Paulo Vinícius Coelho, o PVC avaliou que a vitória do Brasil por 3 a 1 sobre a Venezuela, ontem (7), pelas Eliminatórias Sul-americanas, não pode servir de parâmetro para avaliar o desempenho de Gabigol com a camisa da seleção brasileira. Para o jornalista, como toda a equipe foi mal, a performance do atacante flamenguista também foi prejudicada.

Na opinião de PVC, Gabigol merece ter uma sequência no ataque da seleção ao lado de Neymar. O comentarista defendeu que, apesar de o nível do Campeonato Brasileiro não ser uma referência de qualidade, os dois jogadores se entendem bem e são decisivos em seus clubes.

"O Gabigol não fracassou ontem, a seleção brasileira fracassou. Se a seleção funcionar, as chances dele são maiores. Eu acho o Firmino um grande jogador, que não está no melhor momento, mas, para mim, ele foi o melhor jogador da final da Copa América 2019. Isto à parte, o Brasil precisa achar mais alguém, além do Neymar, que possa decidir jogo. O Gabriel Jesus é mais coadjuvante. Pode ser o Richarlison", defendeu PVC no Seleção SporTV, hoje.

"Fica a dúvida se quem está jogando no Brasil tem esse padrão internacional, a gente perdeu a referência do Campeonato Brasileiro. Mas o Gabigol e o Neymar se entendem tão bem e o Gabigol é tão capaz de decidir jogos na Libertadores, não só no Brasileirão, que eu acho que tem que dar um tempo para eles como dupla, para ver se eles se entrosam, soltos na frente", acrescentou.

Também presente na atração, Alexandre Lozetti avaliou que Gabigol só terá espaço na seleção brasileira se Tite montar uma formação com uma dupla de ataque, que, na opinião do comentarista, é aquela que favorece o jeito de jogar do atacante do Flamengo.

"Não sei se é a dupla, mas tem que dar oportunidade. Acho que a única maneira de o Gabigol ter espaço na seleção brasileira, é se jogar em dupla. Se voltar para um 4-1-4-1,q ue era o sistema de 2018, não vejo o Gabriel nem como atacante de lado nem como a referência. Na carreira do Gabriel tem sido assim, no Flamengo tem sido assim: ele joga bem em dupla. Com o Neymar ao lado, ele tem chance de se consolidar. Tê-lo no grupo é importante pela facilidade com que ele finaliza", complementou.

UOL Esporte vê TV