PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

De G6 a G9: as contas do São Paulo por uma vaga na próxima Libertadores

São Paulo caiu nas quartas de final da Libertadores deste ano, agora tenta voltar ao torneio do qual é tricampeão - Staff Images / CONMEBOL
São Paulo caiu nas quartas de final da Libertadores deste ano, agora tenta voltar ao torneio do qual é tricampeão Imagem: Staff Images / CONMEBOL

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

01/10/2021 04h00

Classificação e Jogos

O São Paulo acompanha com interesse o desenrolar dos torneios mata-mata que dão vaga à próxima Copa Libertadores. A depender dos campeões da Copa do Brasil, da própria Libertadores e da Sul-Americana, o último objetivo do Tricolor nesta temporada fica mais ou menos acessível. O UOL Esporte fez as contas desde um G6 até um possível G9, que facilitaria e muito a busca pela vaga.

De alguma forma a final brasileira nesta Copa Libertadores é boa notícia para o São Paulo, afinal diminui a concorrência pelas vagas do Brasileirão para a edição de 2022. Palmeiras e Flamengo decidem o título em 27 de novembro, e basta o campeão terminar o Nacional entre os seis primeiros para que o G6 já vire G7.

A Copa Sul-Americana também tem decisão brasileira: Red Bull Bragantino e Athletico são os finalistas, e o cenário é o mesmo: se o campeão terminar o Brasileirão entre os primeiros, a zona de classificação para a próxima Libertadores aumenta.

Por fim, a Copa do Brasil. O Atlético-MG encara o Fortaleza, e o Athletico pega o Flamengo nas semifinais que começam só no fim de outubro. A finalíssima está marcada para 12 de dezembro, a última entre os torneios citados e pode definir se o Brasileirão terá um G9 para a próxima Libertadores.

Cinco dos seis clubes envolvidos nas Copas estão nas primeiras posições do Brasileirão: o Atlético-MG é o líder, seguido por Palmeiras, Fortaleza, Flamengo e RB Bragantino, de modo que a definição dos campeões do mata-mata tem boas chances de ampliar o atual G6.

Na prática, não é a quantidade de vagas via Brasileirão que aumenta, é que os campeões de Copa do Brasil, Sul-Americana e Libertadores já têm lugar na fase de grupos e por isso a posição final deles no Nacional se torna irrelevante para fins de classificação aos torneios internacionais. É aí que o São Paulo e qualquer outro time hoje na metade da classificação pode ser beneficiado.

Em termos práticos, a diferença entre o sexto e o nono lugar ao final do Brasileirão geralmente gira em torno dos seis pontos (ou duas vitórias), de modo que o desfecho de Copa do Brasil, Sul-Americana e Libertadores pode ser fator preponderante para o Tricolor conseguir estar na próxima Copa Libertadores.

As contas do São Paulo

Nas últimas três edições, bastariam 66 pontos para cravar o quarto lugar do Brasileirão —e a garantia de vaga direta à Libertadores. Para o sexto lugar, 60 pontos são suficientes. O São Paulo ainda tem plenas condições de alcançar a zona de classificação se esta mesma margem valer para esta edição, ainda mais com a possibilidade de um G8 ou G9, mas precisa pontuar mais.

Atualmente com 27 pontos, o Tricolor está mais perto da zona de rebaixamento (quatro pontos) do que do G6 (seis) ou do G4 (oito). Os 40,9% de aproveitamento teriam que pular para 69% nas rodadas que restam para o time de Crespo brigar pelo sexto lugar (10 vitórias e 3 empates em 16 jogos, por exemplo).

Considerando um possível G9, o sarrafo fica bem mais baixo: nos últimos três Brasileiros, bastaram 54 pontos para garantir o nono lugar. Nesta conta o São Paulo estaria hoje exatamente na metade do caminho, e um aproveitamento de 56% daqui até o final pode ser suficiente (8 vitórias e 3 empates, por exemplo).

São Paulo