PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atlético-MG x Palmeiras decidem vaga com técnicos "invertidos" na gangorra

Cuca, técnico do Atlético-MG, e Abel Ferreira, técnico do Palmeiras - Pedro Souza/Atlético-MG e Marcello Zambrana/AGIF
Cuca, técnico do Atlético-MG, e Abel Ferreira, técnico do Palmeiras Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG e Marcello Zambrana/AGIF

Diego Iwata Lima e Henrique André

De São Paulo e Belo Horizonte

28/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

Um é o atual campeão não só da Libertadores, mas também da Copa do Brasil. O outro foi o vice na competição continental, influenciando diretamente o rumo do jogo ao se enroscar com um jogador adversário, e não ganha um título de primeira linha desde 2016. Nesta terça-feira (28), a partir das 21h30 (de Brasília), ambos lançam suas sortes, quando Atlético-MG e Palmeiras entrarem em campo pelo segundo jogo da semifinal da competição continental.

Passados 242 dias da última final da Libertadores, porém, quem chega pressionado é Abel Ferreira, que, com dez meses de Palmeiras, levantou dois troféus e foi à final do Paulista. Já o técnico por ele derrotado quando no Santos, Cuca, é quem hoje tem mais prestígio junto a torcedores e a grande parte da crítica, comandando o Atlético-MG.

Os momentos dos times explicam isso. O Palmeiras oscila, não joga bem, tampouco plasticamente, e não obtém resultados expressivos com regularidade. O Galo, com uma seleção em seu elenco, por outro lado, sobra. E há quem diga que o time pode ainda fazer mais.

Futebol covarde em São Paulo, muitos afirmam

Estratégia. Talvez, esta seja a melhor palavra para definir o que Cuca, técnico do Atlético-MG, e Abel Ferreira, comandante do Palmeiras, montaram para os dois duelos da semifinal da Libertadores.

Prova disso é que, após o empate sem gol no primeiro duelo, no Allianz Parque, a dupla se mostrou satisfeita com o que os times apresentaram em campo, mesmo com parte da mídia criticando o comportamento até certo ponto medroso e a falta de audácia de mineiros e paulistas.

Questionado, apesar de tudo

Se pensarmos que em 61 anos, apenas Felipão e Abel Ferreira conquistaram a Copa Libertadores pelo Palmeiras, era para o português ter um pouco mais de moral junto aos torcedores e a parte da crítica especializada.

Mas o futebol oscilante do Alviverde, reativo e muito voltado para a fase defensiva do jogo, não vem empolgando ninguém. Se os resultados estivessem vindo, ele talvez até gozasse de mais complacência. Com o Palmeiras na vice-liderança do Brasileiro, mas longe do Galo, sua situação não está fácil.

Abel só deixa o Palmeiras se quiser. A diretoria tem zero intenção de demiti-lo, e a futura presidente Leila Pereira quer contar com ele em seu primeiro ano de mandato. Mas o português pode muito bem pedir o boné se as críticas se avolumaram demais, em caso de uma eliminação. Em especial agora com a volta dos torcedores aos estádios tão próxima.

Para ser o maior da história do Galo

Campeão do torneio em 2013, primeiro dele e do Galo, Cuca vai em busca da segunda final pelo clube, em duas edições disputadas, e, obviamente, do segundo caneco.

Campeão estadual, líder do Brasileirão e dono da melhor campanha da fase de grupos da Libertadores, o curitibano está com a moral elevada.

Recentemente, o técnico bateu a marca de 200 jogos pelo Atlético-MG. Com a primeira passagem bem marcante, quando foi vice-campeão brasileiro, campeão da Libertadores e terceiro colocado no Mundial de Clubes, ele caminha para bater os próprios recordes e, caso conquiste pelo menos um dos três canecos, para muitos já será o maior treinador da história do Galo.

Mas o futebol tem memória curta —para o bem e para o mal. E dependendo de quem ficar com a vaga —e em que circunstância, a balança pode muito bem se inverter. Ao Palmeiras, uma vitória ou qualquer empate com gols vale a vaga. O Galo só se classifica direto se vencer. Um novo 0 a 0 leva o jogo para os pênaltis.

ATLÉTICO-MG X PALMEIRAS

Motivo: 2º jogo da semifinal da Libertadores

Data: 28 de setembro de 2021

Local e horário: Mineirão, em Belo Horizonte; 21h30 (de Brasília)

Arbitragem: Wilmar Roldán, auxiliado por Alexander Guzman e Jhon León; todos colombianos; VAR: Andres Cunha (URU)

Atlético-MG: Everson, Mariano, Nathan Silva, Alonso, Arana; Allan, Jair (Keno), Zaracho e Nacho Fernández; Vargas e Hulk. Técnico: Cuca

Palmeiras: Weverton, Marcos Rocha, Gómez, Luan e Piquerez (Renan); Danilo (Felipe Melo) e Zé Rafael; Dudu, Veiga e Rony; Luiz Adriano. Técnico: Abel Ferreira

Transmissão: SBT e Conmebol TV. O Placar Uol também acompanha o duelo em tempo real.

Futebol