PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Padre vascaíno benze campo de São Januário em dia de jogo decisivo

Vascaíno, padre Julinho benze São Januário - Arquivo Pessoal
Vascaíno, padre Julinho benze São Januário Imagem: Arquivo Pessoal

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

24/09/2021 13h58

Já que no campo as coisas ainda não aconteceram, o vascaíno apelou para a fé. Na manhã de hoje (24), dia do decisivo jogo contra o Brusque pela Série B do Campeonato Brasileiro, um padre esteve em São Januário para benzer o gramado de uma baliza à outra. O confronto será às 21h30, no estádio Augusto Bauer, em Santa Catarina.

O pároco em questão trata-se de padre Julinho, vascaíno de coração e que, nas últimas semanas, ganhou fama nas redes sociais com seus desabafos e preocupações com a situação do Cruzmaltino na tabela, que no momento está a 10 pontos do G-4, o grupo de acesso à Série A.

Além de benzer o campo, Julinho também rezou uma missa na tradicional capela de Nossa Senhora das Vitórias, que fica dentro de São Januário, atrás da baliza onde se encontra a estátua de Romário.

Vascaíno de frequentar a arquibancada, Julinho tem o sonho de ser padre oficial da capela. Atualmente suas missas acontecem no bairro da Taquara, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Fumaça saindo do campo?

O UOL Esporte conversou com uma pessoa que estava em São Januário no momento em que o padre executava o ato religioso. Por lá rolou a "lenda" de que até uma fumaça saiu do campo, algo que aumentou o folclore da situação.

Torcedor do Vasco, Padre Julinho benzeu São Januário  - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Além da "ajuda" católica, representantes do candomblé ligados ao saudoso massagista Pai Santana garantiram aos funcionários que fizeram "trabalhos" em prol de uma guinada do Vasco na Série B.

Agora vai?

Vasco