PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atletas buscam apoio multidisciplinar para cuidar da mente e do corpo

Nem só o desempenho técnico e tático tem sido alvo de melhora por parte dos jogadores de futebol - Andrea Staccioli/Insidefoto/LightRocket via Getty Images
Nem só o desempenho técnico e tático tem sido alvo de melhora por parte dos jogadores de futebol Imagem: Andrea Staccioli/Insidefoto/LightRocket via Getty Images

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

29/07/2021 15h12

A parte mental dos atletas tem sido um dos assuntos mais comentados nos últimos dias, principalmente após a ginasta norte-americana Simone Biles, multicampeã em sua modalidade, abrir mão de disputar finais olímpicas nos Jogos de Tóquio 2020 — realizados neste ano devido à pandemia da covid-19 — sob alegação de que sua mente não estava 100%.

Dentro dessa linha e pensando no bem-estar de atletas de várias modalidades, inclusive o futebol, o esporte mais difundido no Brasil, um psicólogo criou um método para potencializar as valências dos esportistas em suas modalidades. Esse trabalho consiste em atuar com pilares importantes na vida de quem atua com a mente e o corpo: a psicologia, a nutrição e a estatística.

Especialista em psicologia do esporte, Renato Garcia atua junto de outros profisisonais de outras áreas nesse projeto que ele designa como "multidisciplinar". A equipe realiza, segundo Garcia, um diagnóstico do perfil do atleta para identificar as demandas, e, a partir disso, define as metas e planejamentos de cada trabalho individualizado.

Fazemos sessões Individuais para interpretações análises, explicações, orientações e recomendações de comportamento técnico, mental, nutricional e físico. Tudo isso para que o atleta possa acompanhar sua taxa de evolução e atingir suas metas", explicou o psicólogo Renato Garcia em entrevista ao UOL Esporte.

Saúde mental

Na visão do psicólogo, esse tipo de trabalho se torna cada vez mais importante, principalmente pelo fato de as doenças da mente atingirem com forte impacto os atletas, que possuem tarefas extenuantes do ponto de vista físico com uma carga muito alta de pressão por resultados.

"A psicologia do esporte ajuda o atleta a prever e a controlar seus comportamentos, além de gerenciar de maneira adequada suas emoções. Todas essas capacidades podem ser desenvolvidas e treinadas, expandindo as habilidades e a disciplina do atleta, o que influencia diretamente no seu rendimento esportivo e contribui para a melhora de sua performance. Sabemos como é o dia a dia desses jogadores, dos atletas em geral, com dificuldades para lidar com situações de pressão, problemas com estresse e adversidades, redução da concentração, entre outros problemas comuns aos atletas profissionais. Tudo isso pode ser alvo dessa atuação interdisciplinar", garantiu.

Na prática

O atacante Clayson, com passagem pelo Corinthians, e emprestado pelo Bahia ao Cuiabá, usa a psicologia do esporte e o trabalho individualizado de um estatístico, além do nutricional, para melhorar o seu rendimento dentro de campo.

"Conversei com meu empresário e vi que no futebol é preciso investir não só na parte técnica e física, mas também na mental. Isso me levou a buscar esse trabalho diferente. Estou gostando, é algo importante, tem clubes implementando isso no dia a dia também, tenho achado muito importante para mim", revelou ao UOL.

"Trabalho é bem abrangente. Na área da psicologia trabalhamos com a concentração, foco, tomada de decisão, motivação, fatores importantes para o atleta render bem. E junto a isso há uma conversa com a nutrição, com os scouts. A gente sempre faz essa relação alimentação, números e mental para o atleta que quer se destacar, render melhor, ser vendido, jogar fora do Brasil. Isso é a primeira coisa que chama a atenção, as estatísticas, um diferencial para transferências" - Psicólogo Renato Garcia

Trabalho profissional

O empresário de Clayson, Edvaldo Ferraz, explica o motivo de ter proposto esse trabalho de acompanhamento multidisciplinar para o jogador.

"O Clayson está comigo desde os 15 anos e eu tracei um planejamento para a carreira dele, desde a Ponte Preta, passando pelo Corinthians, onde fomos tricampeões. Passamos pelo Bahia, tivemos logo em seguida um momento de pandemia, momento difícil, o Clayson até pegou covid, isso atrapalhou muito. E na vinda por empréstimo ao Cuiabá eu resolvi propor um trabalho diferenciado para que melhorássemos alguns aspectos", comentou, dando detalhes da proposta.

"Tracei planos com o jogador, contratei uma empresa especializada para trabalhar os objetivos técnico-tático, jogo a jogo e pós-jogo, parte comportamental e a parte nutricional. Tracei metas, claro que os profissionais estabelecem a cada cinco jogos uma meta, analisamos vários aspectos, gols, assistências, finalização, cruzamento, jogadas 1 contra 1, que o Clayson é muito forte, para que ele possa fazer um bom Campeonato Brasileiro, defender bem o Cuiabá, e melhorar pontos que a gente estava observando que havia necessidade", disse.

"Os resultados estão dentro do que esperamos, o atleta corresponde dentro e fora de campo, e com isso os percentuais dele estão aumentando. Com certeza ele fará um bom Campeonato Brasileiro, em alto nível", finalizou Ferraz.

Vida leve

Um dos destaques do Cuiabá, que luta para permanecer na Série A do Campeonato Brasileiro, Clayson é um cara caseiro, gosta de ficar com a família, e usa essas características para trabalhar também sua parte mental junto da equipe que atua para o melhor bem-estar do próprio atleta.

"A minha rotina ajuda também, jogo video-game, alivio a cabeça com a família. Isso ajuda, é bem tranquilo", garantiu.

"As questões comportamentais que trabalhamos contribuem nesse crescimento. As questões de relacionamento com os colgas de clube, dentro de casa com a família. Usamos técnicas específicas da psicologia do esporte para lidar com pressão, tensão, tomadas de decisão, tudo para que o atleta esteja bem mentalmente para render mais ainda" - Psicólogo Renato Garcia

Encontros

Segundo Clayson, reuniões semanais são realizadas para o estudo dos dados e apresentação de metas. A partir desses encontros é que o trabalho passa do papel para o campo. E o jogador já tem enxergado resultados positivos com esse acompanhamento.

"Tratamos sobre diversos assuntos, recebo orientações. Consigo colher e ver resultados em todos os aspectos, isso é notório. Tanto na parte nutricional, na parte técnica e psicológica. Quero melhorar meus números, ter uma regularidade melhor, e essa equipe de trabalho ajuda muito. Quero colher frutos para ajudar o Cuiabá nas metas coletivas também. Esse é um grande objetivo que tenho também", explicou.

Futebol