PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Menon: "Título da Sul-Americana seria um upgrade na carreira do Diniz"

Do UOL, em São Paulo

23/07/2021 04h00

Classificação e Jogos

Classificado para as quartas de final da Copa Sul-Americana após eliminar o Independiente, o Santos terá outro adversário complicado pela frente. O Peixe encara o Libertad, do Paraguai, que tem sido figurinha carimbada em fases decisivas nos torneios continentais. Para piorar, os santistas ainda podem encarar rivais como Red Bull Bragantino, Athletico, Peñarol e LDU para levar a taça para a Vila Belmiro.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Luiza Oliveira, Menon, Rodolfo Rodrigues e Maria Victoria Poli - as chances de o Santos chegar ao título da Sul-Americana foram debatidas pelos comentaristas. Eles acham que o Peixe terá adversários complicados em seu caminho até a taça.

Menon considera o percurso do Santos complicado para a sequência da Sul-Americana. "É um caminho difícil. O Red Bull Bragantino [possível rival na semifinal] está em ascensão, mas tem falhado em mata-mata. O Santos tem possibilidade e o título da Sul-Americana seria um upgrade na carreira do Diniz. Ele é aquele cara muito elogiado, faz bons trabalhos, mas está faltando um título. Seria bom para tirar essa carga dos ombros dele", comentou.

Rodrigues também acha que o Peixe terá missões complicadas pela frente para chegar ao título do torneio continental. "O caminho do Santos não é tão fácil assim. O Libertad é um time chato, que está sempre chegando nos mata-matas das competições sul-americanas. Se passar, pode pegar o Red Bull Bragantino, que tem um time forte. Do outro lado da chave, ainda tem o Athletico", disse, citando alguns dos adversários mais complicados que podem encarar o Peixe.

Para Mavi, se o Santos sonha com algum título nesta temporada, a chance será mesmo a Sul-Americana. "A chance é maior do que no Brasileiro, no qual faz um campeonato de meio de tabela. O Libertad é um time cascudo, acostumado com mata-mata, tem experiência e um técnico que foi tetra paraguaio com o Olimpia. É uma missão difícil para o Santos, mas os times do Diniz têm vontade de jogar. Às vezes demora para acordar e precisa tomar um gol para resolver jogar", destacou.

Com a mudança no formato de disputa, a Sul-Americana se tornou uma competição de nível técnico mais alto, na visão de Rodrigues - o que também complica as pretensões santistas. "A Sul-Americana ganhou outro peso com a chegada dos times da Libertadores. Houve uma melhora na qualidade dos times que chegaram nesta reta final. O torneio não é tão fácil assim. O Santos teve uma disputa forte contra o Independiente. Vem de um vice da Libertadores e figura como um dos principais candidatos", finalizou.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol