PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Em jogo sem VAR, árbitro volta atrás em gol do Vasco e causa revolta

Do UOL, no Rio de Janeiro

09/06/2021 18h09

Classificação e Jogos

Um lance polêmico aconteceu durante a partida entre Vasco e Boavista pela Copa do Brasil. Aos 14 minutos do segundo tempo, o atacante Gabriel Pec marcou o gol de empate para o Cruzmaltino e os jogadores adversários reclamaram muito de uma possível mão de Germán Cano. Após cinco minutos, a arbitragem decidiu assinalar a infração e anular o tento.

O curioso é que nesta fase da competição a arbitragem ainda não conta com a tecnologia do VAR, algo que gerou muita revolta por parte de todo o elenco do Vasco, comissão técnica e diretoria. Uma imagem da transmissão do Sportv mostra o técnico do Boavista, Leandrão, puxando um celular do bolso e perguntando ao quarto árbitro: "Quer ver o lance?". Pela regra, não é permitido estar com telefones na área do campo.

A partida ficou parada por oito minutos com muita discussão e empurra-empurra. O técnico Marcelo Cabo era um dos mais revoltados, principalmente com o quarto árbitro Rodrigo Nunes de Sá.

Quando a bola voltou a rolar, o Vasco precisou de apenas três minutos para balançar a rede novamente. Léo Jabá fez uma bonita jogada pela esquerda, cruzou e Germán Cano, oportunista, escorou no segundo pau. Na comemoração, o argentino fez questão de passar por Nunes de Sá e gritar no rosto do quarto árbitro.

Após o jogo, o assunto, obviamente, voltou à tona. O atacante Léo Jabá, por exemplo, criticou a atitude da arbitragem.

"Primeiramente, agradecer pelo elogio [dos comentaristas], mas o mais importante é que saímos com a vitória. Até porque não tem VAR, então, no meu critério, não tem porque ele dar o gol e depois anular. Mas temos de continuar trabalhando. Sabemos que a sequência de jogo é forte e podia acabar nos prejudicando. Se não sai o gol, iria para os pênaltis, mas somos homens. Estamos aqui trabalhando e isso é importante para todos nós", declarou ao Sportv.

Zagueiro do Boavista, Victor Pereira disse que não viu o auxiliar assinalar a mão de Germán Cano, mas vibrou com a correção feita pelo árbitro José Mendonça da Silva Júnior:

"Infelizmente, teve esse gol que teve essa confusão. A bola bateu na mão do Cano, realmente, mas o bandeira não marcou. Ficou aquela confusão, mas, graças a Deus, ele pode reverter. Infelizmente, a bola que demos mole no segundo pau, o Cano fez o gol de empate e deu a classificação para eles".

Vasco