PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Reforço, bônus e cartaz: o projeto do Corinthians para Renato Gaúcho

Renato Gaúcho na Neo Química Arena - Reprodução / Instagram
Renato Gaúcho na Neo Química Arena Imagem: Reprodução / Instagram

Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

19/05/2021 04h00

O Corinthians está motivado com a ideia de contratar Renato Gaúcho para assumir o comando técnico da equipe. Depois da reunião de ontem (18), o clube aguarda uma conversa do treinador com seu staff e familiares para saber se fechará contrato. No projeto apresentado ao empresário do ex-comandante do Grêmio, o clube do Parque São Jorge prevê bônus por metas alcançadas e a possibilidade de reforços pontuais no segundo semestre.

Sem dinheiro em caixa e fazendo malabarismo para manter as contas em dia, o Corinthians aposta que a visibilidade de sua marca e a exposição de mercado são pontos que influenciam a negociação.

Acreditam também que o período de baixa do time poderia até mesmo pesar a seu favor neste momento: Renato poderia reformular o Timão e, se o trabalho prosperar, atrairia ainda mais holofotes na capital paulista. Assumir o clube na atual situação é encarado como um desafio, e essa seria uma narrativa que seduziria o treinador a longo prazo.

Na reunião com o empresário Gerson Oldenburg, o Gauchinho, o presidente Duilio Monteiro Alves, acompanhado de Roberto de Andrade (diretor de futebol) e Alessandro Nunes (gerente de futebol), deixou claro que não pretende fazer loucuras financeiras para viabilizar o acordo e também explicou sua política de cortes de gastos — o Corinthians ainda pretende enxugar sua folha salarial e diminuir os custos de cada departamento do clube em 20%.

O trio, no entanto, sinalizou que há a possibilidade da chegada de um ou outro reforço no segundo semestre, desde que os valores entrem no orçamento do clube. Embora a aposta seja nos garotos das categorias de base e a mensagem tenha sido passada de forma clara ao representante de Renato Gaúcho, a diretoria está ciente de que o elenco não é o ideal para a disputa do Campeonato Brasileiro. Entendem que o grupo precisa de mais gente experiente.

Outro ponto debatido foi a possibilidade de um bônus por metas alcançadas. A questão financeira é o ponto-chave da negociação, e o Corinthians necessita que Renato aceite ganhar bem menos do que recebia no Grêmio. Por isso, o clube sinalizou a possibilidade de premiações esporádicas. Os números não foram debatidos a fundo.

Na conversa, o Corinthians não chegou a fazer uma proposta salarial para Renato. Ambas as partes consideram que a reunião foi produtiva e agora aguardam um posicionamento do treinador para prosseguirem com a negociação. O Timão espera resolver o assunto de forma rápida, se possível ainda nesta semana.

Corinthians