PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Vasco lança camisa alusiva à luta racial e réplica da 'resposta histórica'

Vasco lança camisa All Black - Reprodução Twitter
Vasco lança camisa All Black Imagem: Reprodução Twitter

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

07/04/2021 18h15

No dia em que a "resposta histórica" completa 97 anos, o Vasco lançou uma camisa que faz menção justamente à luta do clube contra o racismo. Segundo divulgado pelo Cruz-Maltino, a "All Black Vasco da Gama" estará, em breve, disponível nas lojas Gigante da Colina. Além disso, foi divulgado também uma versão do documento para os torcedores terem em casa como artigo de decoração.

A camisa, que segue os traços do terceiro uniforme utilizado pelo time, tem o símbolo do punho erguido no lado esquerdo do peito, onde pode-se ler "Vasco da Gama - respeito e igualdade". Já a réplica da "resposta histórica" está em um quadro que tem também o desenho da fachada do estádio São Januário.

A "resposta histórica" foi como ficou conhecida a carta que se tornou a síntese da luta do clube contra a discriminação racial e social no futebol brasileiro. Publicado em 1924, o documento foi elaborado pelo então presidente José Augusto Prestes. Naquela época, o esporte bretão ainda era bastante elitista e não permitia a participação de negros e pessoas de origem humilde, como operários.

Em 1923, o Cruz-Maltino, considerado um clube pequeno e que havia acabado de ser promovido à elite do futebol carioca, se sagrou campeão. No elenco, negros e brancos sem posições sociais.

No ano seguinte, a AMEA — associação de futebol que havia sido fundada por clubes como Botafogo, Flamengo, Fluminense, América e Bangu — impôs algumas condições para permitir a entrada do Vasco no grupo. Dentre elas, a exclusão de 12 jogadores, sob o argumento de maior controle sobre "a moral no esporte" e de se defender um futebol que fosse puramente amador.

Um dos critérios utilizados nesta seleção baseou-se no analfabetismo e nas condições e natureza das profissões dos jogadores vascaínos. "Curiosamente", os 12 atletas eram os negros e aqueles em condições financeiras simples.

Diante disso, Prestes informou, em ofício, que o Vasco estava desistindo de participar da associação por não concordar com as determinações, fazendo com que o Cruz-Maltino disputasse uma liga alternativa.

Em nota, o clube afirmou que, dentre as ações pela semana de aniversário da 'resposta histórica' vai "presentear 24 personalidades negras (12 homens e 12 mulheres), não necessariamente torcedores do Vasco, com um kit alusivo à data, que transcende a ação para além de seus muros". Além disso, indicou "o lançamento de um produto licenciado com mensagem de respeito e igualdade, disponibilizado em todas as lojas Gigante da Colina ainda esta semana".

Veja nota do Vasco

"O maior troféu de uma entidade esportiva brasileira, a Resposta Histórica do Vasco da Gama completa 97 anos nesta quarta-feira (7/4) e o Clube prepara uma semana especialmente dedicada à manutenção e valorização da memória desse que foi um dos grandes marcos, se não o maior, de sua história.

97 anos depois, a luta contra o racismo ainda é latente em todo o mundo. E o Vasco da Gama, como sempre, não poderia se calar. Reforçando o DNA de luta contra a discriminação, o Clube fará uma série de ações para relembrar essa data histórica e reforça a necessidade da discussão.

São Januário amanheceu com o mosaico "CRVG 1924" e a faixa "Lutei Por Negros e Operários", trecho da canção Camisas Negras, criada e cantada por sua torcida sempre que o time entra em campo.

Além disso, o Cruzmaltino quebra mais uma barreira ao presentear 24 personalidades negras (12 homens e 12 mulheres), não necessariamente torcedores do Vasco, com um kit alusivo à data, que transcende a ação para além de seus muros.

Haverá ainda o lançamento de um produto licenciado com mensagem de respeito e igualdade, disponibilizado em todas as lojas Gigante da Colina ainda esta semana"

Vasco