PUBLICIDADE
Topo

La Liga - 2020/2021

Valencia abandona campo após suposto insulto racista contra jogador francês

Diakhaby deixa o gramado cabisbaixo acompanhado por colegas do Valencia após suposta ofensa racista proferida por Cala, do Cádiz - Reprodução/Valencia/Twitter
Diakhaby deixa o gramado cabisbaixo acompanhado por colegas do Valencia após suposta ofensa racista proferida por Cala, do Cádiz Imagem: Reprodução/Valencia/Twitter

Do UOL, em São Paulo

04/04/2021 14h41

Cádiz e Valencia empatavam por 1 a 1 pelo Campeonato Espanhol quando a partida foi interrompida por um suposto ato racista contra o zagueiro francês Diakhaby. O jogo foi retomado após alguns minutos e terminou com vitória do Cádiz por 2 a 1.

Diakhaby discutiu com o jogador Juan Cala, do Cádiz, após uma jogada aérea contra o Valencia. O zagueiro ficou muito irritado com algum comentário de Cala e foi tirar satisfação com o jogador adversário com a bola rolando.

De acordo com informações do jornal espanhol "Marca", Cala teria dito a seguinte frase para Diakhaby: "Negro de merda".

O brasileiro Gabriel Paulista e jogadores do Valencia tiveram de conter Diakhaby. Os jogadores do Valencia abandonaram o gramado e o jogo foi paralisado por alguns minutos.

A partida foi reiniciada sem Diakhaby, que foi substituído por Hugo Guillamón. O suposto agressor, Juan Cala, seguiu em campo.

Nas redes sociais, o Valencia se pronunciou e afirmou: A equipe se reuniu e decide voltar a lutar pelo escudo, mas firme na condenação do racismo em todo o mundo. Valencia em todas as formas. NÃO AO RACISMO", escreveu.

Cádiz se manifesta

Adversário do Valencia, o Cádiz disse por meio de nota oficial que é contra racismo e xenofobia.

"O Cádiz Futebol Clube, face aos acontecimentos ocorridos no jogo com o Valencia Futebol Clube, quer fazer as seguintes considerações: Somos contra qualquer situação de racismo ou xenofobia, seja quem for o seu autor, e trabalhamos para a sua erradicação. Todos os autores desses crimes, sejam ou não da nossa equipe, devem pagar por isso. Não duvidamos da honestidade de todos os integrantes do nosso plantel, que são firmes defensores da luta contra o racismo, cuja atitude sempre foi exemplar em todas as partidas que disputamos. A entidade não pode entrar para avaliar as questões do jogo entre os jogadores, e sempre exigimos uma atitude de respeito e responsabilidade para com os adversários. Trabalhamos e seguiremos trabalhando para que no nosso futebol não haja comportamentos xenófobos, com um 'NÃO AO RACISMO' com toda a sua contundência".

Mais um caso de racismo

Em dezembro de 2020, PSG e Istanbul abandonaram o gramado em jogo da Liga dos Campeões após caso de racismo envolvendo o quarto árbitro da partida, Sebastian Coltescu. A partida foi suspensa e retomada no outro dia.