PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Flamengo debate futuro de Ceni e troca divide opiniões na Gávea

Rogério Ceni, técnico do Flamengo, durante partida contra o Ceará no Maracanã - Jorge Rodrigues/AGIF
Rogério Ceni, técnico do Flamengo, durante partida contra o Ceará no Maracanã Imagem: Jorge Rodrigues/AGIF

Leo Burlá e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

11/01/2021 14h10

A derrota por 2 a 0 para o Ceará e o desempenho ruim do Flamengo em campo acenderam o estopim no clube. Após seguidas rodadas sem bons resultados, o técnico Rogério Ceni está na berlinda, e a cúpula debate o futuro.

Após o revés por 2 a 1 para o Fluminense, a irritação tomou conta da direção, mas o departamento de futebol "segurou" o técnico. O tropeço contra o "Vovô", no entanto, fez transbordar a insatisfação. Ceni perdeu apoios importantes.

O cenário não se distingue muito ao que resultou na demissão de Domènec Torrent. De um lado, o vice de futebol Marcos Braz e seus pares mais próximos. Do outro, os caciques da Gávea. Avalista da contratação de Dome e de Ceni, Braz sabe que perde muito capital político em caso de nova escolha errada.

A janela para uma possível troca no comanda é favorável, pois o Fla só jogará na próxima segunda (18), tempo suficiente para uma mudança que chacoalhe o elenco para a reta final, ainda que o mercado se apresente escasso. Na sequência, o Flamengo pega o Palmeiras, quinta (21), em Brasília.

"No futebol não existe garantia, você tem de conquistar a garantia com os resultados dentro de campo. Até agora, os resultados são poucos, são frágeis, são ruins perto do que esse time pode produzir. No futebol não existe garantia e a direção é soberana, ela tem total direito de tomar qualquer decisão", disse o técnico.

O ambiente no clube é quente e envolve conselheiros e vice-presidentes. Há debate intenso e muita pressão por uma troca, restando ao time apenas mais dez jogos no Brasileirão. O consenso é uma palavra cada dia mais longe da gestão do Rubro-Negro.

Esta segunda será decisiva para Rogério e sua comissão técnica. O trabalho do dia a dia é considerado bom, mas a falta de resultados pesa contra o treinador, que já dá sinais de desânimo.

Flamengo