PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Palmeiras de Abel chega ao limite com onda de desfalques: 'É angustiante'

Thiago Tassi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/11/2020 04h00

Classificação e Jogos

Qualquer coisa que fizesse o Palmeiras ontem (21), contra do Goiás, no Estádio da Serrinha, já seria louvável diante de um surto de Covid-19 em seu elenco, que teve simplesmente 22 desfalques. Não bastassem os diversos problemas prévios ao confronto, a situação ficou ainda pior com a lesão de Luiz Adriano e a expulsão de Mayke, ainda no primeiro tempo da derrota por 1 a 0 na 22ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Desfigurado já antes de a bola rolar, o Alviverde chegou ao seu limite em Goiânia. Iniciou em um 3-5-2 atípico pelo que tinha disponível, com Mayke improvisado na esquerda e Marcelinho titular na frente, e foi terminar em um 5-3-1, depois que o lateral deixou o jogo mais cedo ao receber o cartão vermelho aos 37min do primeiro tempo. Pois esse "1" à frente foi, por muito tempo, o improvável Patrick de Paula, empurrado ao ataque por esgotamento físico.

"Começou com a lesão do Felipe Melo, depois o Danilo, agora o Raphael Veiga... Também para mim é angustiante. Jogar a cada três dias, ter que ir atrás de jogadores, inventar posições, é difícil. É difícil", desabafou o técnico Abel Ferreira.

A atuação do garoto Patrick, que se destacou no título paulista, simboliza o momento complicado da equipe paulista às vésperas das oitavas de final da Libertadores. De tanto correr, ele precisou virar centroavante. Pois, no fim, foi tentando contribuir na marcação como dava, inclusive, que o camisa 5 não conseguiu acompanhar Miguel Figueira, feliz em chute de longa distância que deu a vitória ao lanterna do Brasileirão nos minutos finais.

"A gente fez bom jogo, mas infelizmente tivemos um a menos. Conseguimos controlar e tivermos oportunidades, mas tomamos o gol praticamente no último lance. Agora tem jogo importante pela Libertadores, temos que focar nela, descansar, porque na quarta tem outra batalha", destacou o garoto na saída do confronto de ontem.

A derrota interrompeu a série de nove jogos de invencibilidade da equipe, marcou o primeiro revés de Abel Ferreira no comando alviverde. Mas, mais que isso, liga o alerta para o mata-mata da Libertadores, que começa na próxima quarta-feira (25) para o Palmeiras.

No limite e sem expectativa de retorno para muitos jogadores, afastados com Covid-19 (veja a lista completa de desfalques mais abaixo), o time junta os cacos para viajar ao Equador e enfrentar o Delfín.

No ataque, a dúvida paira sobre Luiz Adriano. O jogador deixou o campo de maca e preocupa, já que voltou a sentir lesão muscular. Aqui, a ressalva de que o camisa 10 havia retornado na partida contra o Ceará, pela Copa do Brasil, após um desgaste, mas parece não aguentar a maratona de partidas neste fim de ano.

Para escalar o setor ofensivo, Abel Ferreira conta com os recém-estreantes Marcelinho e Fabrício. As opções, obviamente, não são as que qualquer torcedor palmeirense imaginaria dias atrás, projetando os duelos decisivos da Libertadores, e escancaram outro problema: a falta de entrosamento.

É natural que os jovens que jogaram contra o lanterna —e que possam ter de ir a campo na quarta-feira— não tenham intimidade com o elenco principal. Nem tempo para treinar há direito, como pontuou o técnico português na coletiva.

Em meio a todo esse 'caminhão de problemas', Abel Ferreira chamou a responsabilidade pela derrota em Goiana. "Eu sempre disse e não vou fugir. O responsável sou eu, a culpa é minha sobre tudo o que aconteceu hoje [sábado]. As substituições bem ou mal feitas, eu sou o culpado. Mas amanhã é outro dia. É olhar em frente para os jogadores que temos. Cada dia é um novo dia e vamos procurar escolher sempre a equipe mais competitiva para enfrentar nosso adversário."

Zé Rafael, por outro lado — e por enquanto —, volta a ser opção e é a nota positiva. Fora do jogo do último sábado porque havia recebido três cartões amarelos no Brasileirão, o meia vira reforço importante diante das circunstâncias e porque Ramires, seu substituto, não consegue imprimir o ritmo que o destacou na Europa.

Os 21 desfalques de Abel Ferreira para a Libertadores até o momento:

  • Felipe Melo: cirurgia no tornozelo esquerdo
  • Wesley: cirurgia no joelho esquerdo
  • Luan Silva: cirurgia no joelho esquerdo
  • Willian: covid-19
  • Aníbal: covid-19
  • Alan: covid-19
  • Raphael Veiga: covid-19
  • Danilo: covid-19
  • Rony: covid-19
  • Gabriel Silva: covid-19
  • Viña: covid-19
  • Jailson: covid-19
  • Vinicius: covid-19
  • Alan Empereur: covid-19
  • Gustavo Scarpa: covid-19
  • Gabriel Veron: covid-19
  • Marino: covid-19
  • Kuscevic: covid-19
  • Quiñonez: covid-19
  • Pedro Acácio: covid-19
  • Breno Lopes: covid-19

Palmeiras