PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

Quem segura? SPFC, Palmeiras e Grêmio embalaram no Brasileiro; veja raio-x

Luciano (São Paulo), Jean Pyerre (Grêmio) e Raphael Veiga (Palmeiras) simbolizam boa fase dos clubes - Arte/UOL
Luciano (São Paulo), Jean Pyerre (Grêmio) e Raphael Veiga (Palmeiras) simbolizam boa fase dos clubes Imagem: Arte/UOL

Thiago Tassi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/11/2020 04h00

Classificação e Jogos

Diante de times afetados pela pandemia do novo coronavírus e um calendário maluco em 2020, o Campeonato Brasileiro está equilibrado neste ano e com mais clubes brigando pelo título. Ao menos neste momento, em plena realização da 22ª rodada, a imprevisibilidade abrange até seis postulantes ao troféu no final da temporada. Agora, se for para avaliar as últimas semanas de resultados, há três times da parte de cima da tabela pedindo passagem: São Paulo, Grêmio e Palmeiras.

Em comum, as equipes ainda não perderam no mês de novembro. O feito justifica outra semelhança atual do trio: todos eles estão vivos na semifinal da Copa do Brasil — São Paulo e Grêmio se enfrentam, enquanto o Palmeiras é desafiado pelo América-MG. Mas o que explica a boa fase dos três? Até onde eles podem ir?

"Palmeiras, Grêmio e São Paulo cresceram nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro. É o momento ideal para que essas equipes subam de produção? Não podemos ignorar o seguinte: os três estão na semifinal da Copa do Brasil; Grêmio e Palmeiras também estão na Libertadores. Ou seja, terão um calendário pesado, direto, até que caiam de alguma competição. Se não, vão indo. O São Paulo tem três jogos atrasados, então terá sempre semanas cheias", destacou Mauro Cezar Pereira, colunista do UOL, no quadro "Fala, Maurão".

Abaixo, o UOL Esporte apresenta um raio-x dos clubes que se destacam neste momento. Contamos o tempo de invencibilidade na temporada, o que está por trás de cada arrancada e o que há para melhorar.

São Paulo

Sequência invicta - 6 jogos
Flamengo 1 x 4 São Paulo (Brasileirão) - 1º/11
São Paulo 4 x 3 Lanús (Sul-Americana) - 4/11
São Paulo 2 x 1 Goiás (Brasileirão) - 7/11
Flamengo 1 x 2 São Paulo (Copa do Brasil) - 11/11
Fortaleza 2 x 3 São Paulo (Brasileirão) - 14/11
São Paulo 3 x 0 Flamengo (Copa do Brasil) - 18/11

Última derrota
Lanús 3 x 2 São Paulo (Sul-Americana) - 28/10

O que justifica a arrancada do São Paulo?
- Manutenção de Fernando Diniz: o técnico balançou, ficou próximo de deixar o Morumbi no começo de outubro, mas resistiu. A diretoria deu sequência no trabalho, e hoje o clube começa a colher os frutos. Contra o Flamengo, por exemplo, a equipe mostrou repertório para atuar em contra-ataque e sem a bola.

- Luciano chegou e já resolveu: único reforço da temporada, o atacante está mais à vontade do que nunca no Morumbi. Já são 11 gols na temporada e uma parceria matadora do Brenner.

- Brenner desabrochou: e, por falar no garoto, a carreira do atacante de 20 anos parece engrenar. Titular no São Paulo, ele já balançou as redes 17 vezes em 2020. Nas últimas 13 partidas, o jovem teve média de um gol a cada 90 minutos.

- Dani Alves voltou a ser decisivo: camisa 10 e nome mais experiente do elenco são-paulino, Daniel Alves superou um mau momento que atravessava e contribui bastante a cada compromisso da equipe. Corre, cria jogadas no meio, marca e instrui a garotada.

O que falta/até onde pode ir?
Vivo no Brasileirão e na Copa do Brasil, o São Paulo tem alguns "fantasmas" pela frente. O primeiro, sem dúvidas, é o jejum de títulos -- sem levantar um troféu desde 2012, quando faturou a Sul-Americana, o clube tenta sair da fila. Contra isso, pesam o calendário avassalador e o elenco curto, que será colocado à prova daqui para frente. A favor, a equipe do Morumbi tem três jogos pendentes do primeiro turno do Brasileirão e, em caso de vitória, pode se consolidar na liderança.

Palmeiras

Sequência invicta - 9 jogos
Palmeiras 5 x 0 Tigre (Libertadores) - 21/10
Atlético-GO 0 x 3 Palmeiras (Brasileirão) - 25/10
Red Bull Bragantino 1 x 3 Palmeiras (Copa do Brasil) - 29/10
Palmeiras 3 x 0 Atlético-MG (Brasileirão) - 2/11
Palmeiras 1 x 0 Red Bull Bragantino (Copa do Brasil) - 5/11
Vasco 0 x 1 Palmeiras (Brasileirão) - 8/11
Palmeiras 3 x 0 Ceará (Copa do Brasil) - 11/11
Palmeiras 2 x 0 Fluminense (Brasileirão) - 14/11
Ceará 2 x 2 Palmeiras (Copa do Brasil) - 18/11

Última derrota
Fortaleza 2 x 0 Palmeiras (Brasileirão) - 18/10

O que justifica arrancada do Palmeiras?
- Andrey Lopes devolveu confiança: derrotas em seguida culminaram na saída de Vanderlei Luxemburgo e em um time com baixa autoestima. Mas "Cebola", o auxiliar fixo do Palmeiras, devolveu a confiança do elenco, montou um time mais competitivo e deixou a situação mais agradável para Abel Ferreira.

- Abel Ferreira deu sequência: o português entendeu o trabalho que havia sido feito pelo auxiliar, e deu sequência. Sem muito tempo para treinar o time, ele vem aos poucos dando sua cara ao Palmeiras. Também agradou o elenco ao mostrar trabalho e recuperou alguns jogadores.

- Raphael Veiga iluminado: uma das boas novidades recentes do clube alviverde é Veiga. O meio-campista, que não conseguia ter sequência no time, vive a sua melhor fase da carreira. Em 2020, já anotou 13 gols e faz a temporada mais artilheira.

- Gabriel Veron em alta: antes de ser diagnosticado com Covid-19, Gabriel Veron encaixava no ataque palmeirense. Usado na ponta esquerda após a lesão de Wesley, a joia conseguiu apresentar o futebol que o coloca como grande promessa do clube. Deu dribles, achou passes, triangulou e marcou alguns tentos.

O que falta/até onde pode ir?
Impossível falar da fase do Palmeiras e desconsiderar o coronavírus. Elenco mais afetado pela pandemia até o momento no Brasileirão -- são 18 infectados --, o Alviverde terá semanas bem desafiadoras pela frente até recuperar seus atletas. Outro problema para o restante da temporada, é a sequência insana de jogos. A ver como o time sobrevive ao surto de Covid-19 e às três competições que disputa (Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores).

Grêmio

Sequência invicta - 11 jogos
Grêmio 3 x 1 Botafogo (Brasileirão) - 14/10
São Paulo 0 x 0 Grêmio (Brasileirão) - 17/10
Grêmio 1 x 1 América de Cali (Libertadores) - 22/10
Athletico-PR 1 x 2 Grêmio (Brasileirão) - 25/10
Grêmio 1 x 0 Juventude (Copa do Brasil) - 29/10
Grêmio 2 x 1 Bragantino (Brasileirão) - 2/11
Juventude 0 x 1 Grêmio (Copa do Brasil) - 5/11
Fluminense 0 x 1 Grêmio (Brasileirão) - 8/11
Cuiabá 1 x 2 Grêmio (Copa do Brasil) - 11/11
Grêmio 4 x 2 Ceará (Brasileirão) - 14/11
Grêmio 2 x 0 Cuiabá (Copa do Brasil) - 18/11

Última derrota
Santos 2 x 1 Grêmio (Brasileirão) - 11/10

O que justifica arrancada do Grêmio?
- Jean Pyerre dominou meio com a 10: superado os problemas pessoais e lesão, o garoto de 22 anos vem sendo a cara do Grêmio nesta boa fase. Passou a usar a camisa 10, a partir do 4 a 2 em cima do Ceará, e faz jus ao número: dominou o meio e é responsável pela criação do Tricolor. Além de ditar o ritmo da equipe, é perigoso em chutes e cobranças de falta. Aqui, uma menção honrosa a Darlan e Matheus Henrique, também crias do clube e que se destacam no meio.

- Diego Souza voltou a marcar: depois de quatro jogos de jejum, ele reapareceu. Diego Souza anotou quatro gols nos últimos três jogos e se apresenta como um dos principais goleadores do ano. Só em 2020, o experiente jogador balançou as redes 18 vezes.

- Pepê, a válvula de escape: sai Everton Cebolinha, entra Pepê. O ponta assumiu o posto após a saída de Cebolinha para o Benfica e virou a válvula de escape para o modelo de Renato Gaúcho. Também é jovem (23 anos) e surge em um momento não muito bom financeiramente. Na temporada, já fez 10 gols e deu seis assistências.

O que falta/até onde pode ir?
O Grêmio tem problemas semelhantes ao Palmeiras. Vivo em três competições (Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores), o Tricolor Gaúcho irá expor um elenco não muito completo no restante da temporada. A favor do clube, o modelo mais reativo desenvolvido por Renato em 2020. O time não joga sempre com a bola e criou outras opções para variar nas partidas. A defesa é de se destacar também. São 19 gols sofridos no Brasileirão, a segunda melhor marca (ao lado do Fortaleza).